Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Passaros Proibidos

Em 1976 em um presídio chamado “Liberdade”

Nos tempos da ditadura militar, os presos políticos uruguaios não podiam falar sem licença, assoviar, sorrir, cantar, caminhar rápido nem cumprimentar outro preso. Tampouco podiam desenhar nem receber desenhos de mulheres grávidas, casais, borboletas, estrelas ou pássaros.
Didaskó Pérez, professor, torturado e preso por ter idéias ideológicas, recebe num domingo a visita de sua filha Milay, de cinco anos. A filha traz para ele um desenho de pássaros. Os censores o rasgam na entrada da cadeia.
No domingo seguinte, Milay traz para o pai um desenho de árvores. As árvores não estão proibidas e o desenho passa. Didaskó elogia a obra e pergunta à filha o que são os pequenos círculos coloridos que aparecem nas copas das árvores, muitos pequenos círculos entre a ramagem:
– São laranjas? Que frutas são?
A menina o faz calar:
– Shiiiiiihhh.
E em tom de segredo explica:
– Bobo. Não está vendo que são olhos? Os olhos dos pássaros que eu trouxe escondidos para você.

2 comentários:

  1. Lindo, isso revela as diversas formas d AMOR se apresentar. oferecer passaros a quem amamos é uma prova de amor!

    ResponderExcluir
  2. Essa é certamente uma criança maravilhosa...
    Nunca poderão roubar nossa predestinação por voar. O espírito não pode ser capturado!!!

    ResponderExcluir