Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Gazal em Louvor de Hafiz

Escuta o Gazal que fiz,
Darling en louvor de hafiz:

Poeta de chiraz, teu verso
Tuas mágoas e as minhas diz.

Pois no mistério do mundo
Também me sinto infeliz.

Falaste "Amarei constante
Aquela que não me quis".

E as filhas de Samarcanda,
Camaleiros e sufis.

Ainda repetem os cantos
Em que choras e sorris

As bem-amadas ingratas,
São pó; tu, vives, hafiz !!!

Manoel Bandeira



Hafiz criou uma poesia cristalina, sobre o amor divino sexual. Por mais de 50 anos escreveu movido pela inspiração divina, porém muitos dos seus 500 gazéis** cantam a riqueza e a beleza de Shakh-e Nabat, que ocupa em sua obra o mesmo lugar que Laura de Petrarca. Além de ser poeta da corte de Abu Ishak e depois do xá Shuja, Hafiz foi um mestre divino. Seus conhecimentos religiosos estão embutidos em seu nome de esctitor: Hafiz indica aquele que memorizou o Corão. De uma grande tradição poética Lírica expressa em sua obra, celebrou interligações entre o erótico e o espiritual.

Matthew Sperling

OBS: ** Os gazéis de Hafiz", um corajoso trabalho de tradução de Aurélio Buarque de Hollanda, publicado em 1944 pela Livraria José Olympio Editora. A tiragem foi de 200 exemplares numerados.Raríssimos volumes. Possivelmente Bandeira foi dono de um desses.


Rerência:

501 GRANDES escritores.Rio de Janeiro: Sextante, 2009. 640 p.: il.

CANTO Caracol.blogspot. Acesso em: 23 04 2010

3 comentários:

  1. Adorei o post!
    Cheio de informações, além do poema *-*
    E com referência no final? :O
    Cara de bibliotecário!
    Esse meu irmão é mesmo um orgulho :D
    hahaha

    ;*

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkk
    parece até que vai ser bibliotecário né

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelas informações, amigo.

    ResponderExcluir