Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 18 de abril de 2010

SANTO BÊBADO DUM CARNAVAL

    

Arrasa, o meu projeto de vida,
santo bêbado dum carnaval.
Carne viva,
seringa,
fogueira num vendaval.

Palavras fugitivas num discurso,
e muda o curso num leito dum rio,
lava o sal do mar,
tira as nuvens pra lavar,
abre pétala por pétala,
e as devolve quando o sol se dissipar.

Prato uno dum vagabundo,
id pisoteando ego num samba de fevereiro.
Poder ludibriante de um político,
ante um povo sem lembranças.

Rasga o jornal, e bebe o último gole do café,
fuma pontas num cinzeiro,
bate porta,
leva a rede,
muda o curso de uma história.

Arrasa com meu projeto de vida,
és última gota de sangue na revolução,
és o último suor da construção.


Katarine Araújo

Um comentário:

  1. fazer poesia sem esquecer da política é o ofício do poeta, ou não. pelo menos, foi o que notei nesta.
    o carnaval do bêbados, o carnaval dos políticos, enfim, o carnaval da palavras!
    muito boa a poesia katarine!

    ResponderExcluir