Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Tinha que ser da família...

  
Amigo,
sua faca me feriu
me cortou a carne
me estragou a tarde
e fiquei com medo
de enfrentar a noite só,
busquei uma cerveja
um papo amigo
(veja só)
apenas me perdi mais
dentro de mim mesma.


Heloisa Bandeira de Melo

3 comentários:

  1. Adorei o poema! ^^

    Mas estou aqui para oferecer ao "Poetas de Marte" o Selo Prêmio Dardos. É apenas uma maneira de homenagear o blog e todos os seus colaboradores.
    Os detalhes sobre o prêmio estão na última postagem do meu blog:

    http://lacunasdotempo.blogspot.com/2010/05/selo-premio-dardos.html

    Espia lá! ;)

    Beijinhos,
    Ane

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. OK Ane vou articular aqui com meus comparsas///

    no mais esse caju dá cada semente aqui nesse blog: esse poema aí em riba é muito massa...
    e´ a cara dos machucoes de família, é uma cusparada na cara

    ResponderExcluir