Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Verdades cuspidas

Não escrevo pela graça de ser poeta!
Pela graça da palavra rimada ou pelo
Suspiro da rapariga apaixonada,
Muito menos pelo cálice no recital.
Escrevo pela dor!
Pela necessidade de estar vivo!
Pela necessidade de não ser inútil.


D.Everson

07.02.2007

Andrade, D.Everson da Silva. Poemas do S(Ó)L. OLinda: Livro Rápido, 2009.

4 comentários:

  1. Essa vai para todos meus amigos panfleteiros.

    ResponderExcluir
  2. Escrever não é apenas um ofício é um vício por estar vivo. Não é um ato é um sentimento.
    Pedro Manoel

    ResponderExcluir
  3. Escreva com a alma
    Entregue o que ela transborda
    Essa é a medida!

    ResponderExcluir