Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Para uma daquelas ninfas que nunca beijarei a boca...



Três versos para uma velha anônima conhecida

Branca como a lua ela também caminha nua de preconceitos.

Ela já fuma e suave é o vento que passa e lhe roça a nuca.

Ela já transa e as vezes até dança com a morte só para desafiar a sorte.

D.Everson

Um comentário:

  1. ela é relamente linda, e o poeta é realmente platonicamente apaixonado.

    ResponderExcluir