Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 9 de janeiro de 2011

HAICAIS DE DOMINGO



Por: D.Everson
Waldomiro Siqueira Junior adotou o haicai a partir de 1926, inspirado por relance da alma japonesa, do diplomata e intelectual português Wenceslau de Moraes. Em seu ofício, o poeta foi assumindo gradativamente, o esquema concebido por Guilherme de Alameida.
Em setembro de 1933, Waldomiro lança Haikais, primeiro livro no país inteiramente de haicais. Quase sete décadas depois, pública Quatrocentos e vinte haicais (1981), seguido por Haicais reunidos, Volume 1 (1986). Irregulares, muitos de seus poemas decaíram para um desagrado sentimentalismo. Outros inspiradíssimos revelam grande conhecimento sobre regras abrasileiradas de sua composição, além de um traço fino de humor.
Íntimo
Ir e voltar, a esmo.
Estradas abandonadas
dentro de mim mesmo.

Édito
Pois bem, nada existe
de novo. Conclamo o povo
a não ficar triste

Escombros
Casa demolida
Foi bela. Pensar que nela
houve tanta vida...

Placebo
Nada eu considero
remédio para o tédio.
Nem mesmo um bolero.

OBS: todo o texto a cima fora retirado do livro de GUTTILL. 2009. Não pude consultar outra fonte e escrever um texto original por falta de informações sobre o autor citado.
REFERENCIAS
GUTTILLA, R. W.Boa companhia: haicais. São Paulo: Companhia das letras, 2009. 189 p.
http://www.revista.agulha.nom.br/ws.html

3 comentários:

  1. Esse esquema de Guilherme de Almeida (que não é nem tão dele assim) é massa. Os de 5 rimam entre si e o de 7 auto-rima-se(?) entre a segunda e a sétima sílaba.

    ResponderExcluir
  2. falou quem intende a coisa, grande Caju

    ResponderExcluir