Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 9 de abril de 2011

FILOSOFANDO À TOA 4

Por: Célio limA.

“Quando nasci me rotularam! E me codificaram! Mais ou menos um produto social com garantia e prazo de validade. Um apêndice de carne dentro de uma maquina de ferro. Mim rotularam nomes e religiões. Mim ensinaram conceitos e com eles os preconceitos. Mim ensinaram ciências sem consciência. Mim ensinaram ideologias sem psicologia. Mim mostraram o mundo vasto e vagabundo. Mim facilitaram a vida aumentando a ferida. Mim escravizam num sistema operário. Privam minha liberdade num sistema penitenciário. Usurpam minha fé com deuses imaginários. Vendem minha alma com parcelas no crediário. Castram minha honra burgueses ordinários e tiram minha vida com suicídios diários”.(CARLOS PIO)

Há muitos que ouvíamos falar que: “O Brasil é o país do futuro”. Recentemente em suas passagens por essa terra de santa cruz. O Presidente negro americano Barack Hussein Obama. Ao referir sobre tal pensamento disse que: “O Brasil não é mais o país do futuro. O futuro já chegou e é agora”. Pergunto-me e respondo. Se o futuro chegou enfim há esse país. Estamos bastante atrasados e até incapacitados. Em termos éticos e educacionais. Basta vermos (nossa guerra civil). A violência perdendo o pudor por parte dos humanos. Se tornando mera banalização e um fato corriqueiro nas manchetes ou espremido no banho de sangue dos jornais. Veremos o transito caótico e a falta de estruturas e o pior: a decadência que vem ocorrendo no ensino brasileiro. Isso tem solução? Claro que sim. Precisamos de muitos esforços por parte de todos os setores sociais. E mais do que nunca, precisamos ser trabalhadas tanto a matéria de filosofia quanto a de sociologia. No ensino público além do privado, pois precisamos reaprender reeducar as novas gerações de forma a mostrar os conceitos éticos, as discussões e problemas filosóficos, para que eles venham a serem, seres críticos, éticos e coerentes. Ou seja, para que o Brasil não venha a ser uma das principais economias (se prevêem ser a quinta nas próximas décadas), mas com péssimo material humano. Precisamos sim de uma seria reforma no sistema educacional e não de medidas “tapa-buracos”. Uma reforma que vise melhor à qualificação e condições por parte dos profissionais do ensino para que possam formar os pequenos cidadões (em potencia) em reais cidadões do futuro. Por isso mais do que nunca eu vejo na filosofia. Uma opção de levar os indivíduos a pensar o mundo e a pensar o indivíduo com critica, com indagação e também com contemplação. Para que em um futuro próximo a nossa sociedade não venha a ser tão consumista e tão descartável. Para que a nossa cultura não seja massa de manobra das empresas do entretenimento de baixo padrão. Rádio-jabá-música, TV-indústria do crime da propaganda comercial, internet - meio de fácil acesso a mil e uma futilidades de facto um mundo falso virtual, meios de comunicações em geral-massa de manobra de grupos políticos de empresas estatais e multinacionais. E que a nossa juventude não padeça no lazer funerário de ter no shopping Center como o Maximo da curtição do final de semana. Mudando de assunto e não saindo tanto assim. O Brasil estar de luto pelo ato covarde acometido por um fanático religioso em Realengo. Tal fato mostra a nós o quanto estamos cheios de neuroses e de perturbação com as graças capitalista do modelo americano de ser. Até nas neuroses estamos copiando os americanos. O pior é que não somos um povo tão bondoso quanto nus fazem às vezes acreditar. Repito que vivemos numa guerra civil. Cercados de grades com segurança ineficaz e com uma justiça além de cega, lenta que não cumpre as leis que temos até demais na teoria e travada na pratica. A imprensa tenta chocar a sociedade com as respostas dadas as perguntas por “Bonsaro”. Um ser desprezível que com certeza entraria adentro da igreja católica para fazer saudações e louvores ao “Adolf Hitler” no período da ditadura militar. O problema é que tão demonizando este infeliz crápula. Por ele responder ao que fora perguntado da forma imbecil que ele interpreta a vida. Sou a favor da liberdade de imprensa tanto quanto o direito de qualquer asno falar qualquer tolice. O que não pode é este politicamentecorreto miserável. Que todo mundo tem que ser agradável amigo de todos, não falar mal de ninguém. Isso sim é uma pobreza disfarçada de ética. Discordo com a pretensão falaciosa que todos têm que ser “bons”. Oras tem que ser bom quem assim o é. Quem não. Resta ser que o que é. Covarde ou canalha, até para que a sociedade saiba se defender destas espécies. Falando em política, ética e a reforma política brasileira? Eu entendo que um mandato com quatro anos seja muito pouco para alguém sério concluir o seu projeto. Vejo um mandato mínimo de seis anos. Mas, porém: sou a favor de um único mandato que dure aproximadamente dez anos. O que seria uma década para cada governo. Digo isso para toda a esfera política brasileira, tanto no executivo como no legislativo. O que seria algo bom e produtivo ou seria um total desastre. Pretendo crer que o caminho do risco seja o do sucesso... Não sou, porém nenhum especialista na arte da política. Aliais nem dela gosto, acho que seja necessário entender algo sobre esse jogo e distinguir o “ouro-de-tolo”. Curto apenas observar as alianças, as conjeturas, todo esse mecanismo. Sou a favor do voto nulo e do voto facultativo. Pois vejo que de certa forma ambos combatem com a corrupção existente nas campanhas eleitorais deste país. Digo isso sem nenhum pingo de autoridade sobre o assunto. Pois têm pessoas que tem estudado e pesquisador a fundo esses tópicos. Digo apenas o que enxergo no momento apenas com o meu olhar mudano de mero contemplador das coisas do mundo. Pois no momento o nosso planeta em constante pulsação, retração, movimento, mudança... É o pais Japão com seus terremotos, suas usinas e a preocupação em pauta sobre as mesmas. O oriente e suas manifestações, revoluções, a juventude rebelando-se contra sistemas ultrapassados, as mulheres que já foram tantas escravas, hoje não querem mais tal escravidão. É a Europa e os Estados Unidos cobrando juros e mais juros dos países subdesenvolvidos. Para darem de bandeja ou de brinde para os banqueiros que com suas incompetências criaram esta ultima crise econômica e outras ainda para se fabricar. O Brasil terra de santa cruz... Onde padres estão se suicidado ou terrorista cristão que mata garotinhas indefesas e atira em crianças especiais e ainda ter o descaramento de ser bondoso com os pobres animais de estimação. Eu sei que tudo é possível. Esse é o mundo que eu vivo. -Célio limA.

“O tormento de Tântalo não é nenhuma fantasia. Ele é o símbolo da sociedade capitalista. O homem tem cede e não pode beber porque as regras do privilégio o impedem, ele tem fome e é obrigado a sucumbir diante de elevadores cheio de grão e armazéns a rebentar. Poderá alguém imaginar uma contradição maior que esta, em que a abundância se torna principal fonte da miséria? Tal é a realidade deste mundo. Tântalo é o cidadão desprivilegiado de qualquer país moderno”. (DIEGO ABAD SANTILLAN)

FILOSOFANDO À TOA.

OBS: Célio limA. É filosofo por natureza; anarquista por tesão e poeta por diversão. Membro fundador dos movimentos literanarkos: a Sociedade dos Filhos da Pátria; A Liga Espartakista-Sempre Mais!!!. Atua nos Blogs:http://salveopoetasalve.blogspot.com ;http://sexopoemaserocknroll.blogspot.com/ ;http://poetasdemarte.blogspot.com/ .

Atualmente cursa: FILOSOFIA-UFPE.

4 comentários:

  1. Seu blog é muito interessante...
    Estou te seguindo.... Tenha um Lindo Dia!
    Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
    E
    http://deusemminhaalma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. E eu fico pensando...O que de fato anda nos roubando a alegria de viver e deixar viver?

    ResponderExcluir
  3. Cara Célio, muita ideia bacana; só a realidade, a triste realidade.
    Só se resta a perguntar agora "Que País é este?" diante de tantos fatos ocorridos, de tanta "in-consciência".
    Mas vamos vivendo, usando da nossa Filosofia e fazer a nossa parte.

    ResponderExcluir
  4. BEM VINDA AO PENSAMENTO DESTA NAVE MARCIANA, ELISABETE LIRA...
    CARA CARLA STOPA, É A BANALIZAÇÃO DA VIDA HUMANA...
    QUERIDA SCHEILA. A RESPOSTA QUE TENHO É QUE "É A PORRA DO BRASIL... MAS COMO CANTA O POETA NORDESTINO, PODE SER O PAÍS DE QUALQUER UM MAIS NÃO É COM CERTEZA O MEU PAÍS(DESEJADO)" CABE A NOS UTILIZAR A FILOSOFIA COMO AUXILIO A INDIFERENÇA DESSE "MONSTRO SISTEM" E CRIAR CONDIÇÕES POSSÍVEIS DE UM LUGAR AO POR DO SOL MELHOR COM A BENÇÃO DA SABEDORIA DO AMOR...

    -Célio limA.

    ResponderExcluir