Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 1 de maio de 2011

HAICAIS DE DOMINGO

 O mago da poesia

Por: D.Everson***

Todos dizem que é Drummond, pelo menos no Brasil, apesar de alguns puristas de sangue lusitano insistir que é a pessoa do Pessoa o grande poeta da língua portuguesa. Minha pessoa caros leitores discorda tanto dos conservadores de sangue azul quanto dos liberais tupiniquins, porque como já dizia em minha opinião o maior poeta da língua portuguesa: Todos estes que aí estão atravancando o meu caminho, eles passarão… Eu passarinho! E também omo diria o grande Leminski para mim esse grande mago da poesia brasileira fora e é "o mínimo do máximo". Dono de um poder de persuasão monstruosa me espanta em cada construção poética com a sua enorme capacidade de construir o mais belo poema com apenas algumas frases: 

"Olho em redor do bar em que escrevo estas linhas. 
Aquele homem ali no balcão, caninha após caninha, 
nem desconfia que se acha conosco desde o início 
das eras. Pensa que está somente afogando problemas 
dele, João Silva... Ele está é bebendo a milenar 
inquietação do mundo!"

Natural da cidade de Alegrete (RS) nosso poeta nasceu no dia 30 de julho de 1906. Seu primeiro Livro A rua dos cataventos vem a tona em 1940 dando seqüência a uma obra como mais de 30 títulos. Muito celebrado por poetas do gabarito de Manuel Bandeira é com certeza um dos trovadores mais lidos pelos jovens amantes da literatura brasileira. Um grande poeta como esse não poderia deixar de ter um livro com haicais:          
Sem mais delongas com vocês o grande, o magnífico, o super, o mega: MÁRIO QUINTANA:

O poema
O poema
essa estranha máscara
mais verdadeira do que a própria face…

Humilde orgulho

Aquele fiozinho d’água
Não era um rio:
Bastava-lhe ser um fio de música
A oferenda

Eu queria trazer-te uns versos muito lindos…
Trago-lhe estas mãos vazias
Que vão tomando a forma de teu seio.

Os grilos

Eles cantam a noite inteira!
Não sabias?
Os grilos são os poetas mortos…


REFERÊNCIAS:
CAQUI Revista Brasileira de Haicais. Disponível em: http://www.kakinet.com/cms/.
RELEITURAS. Disponível em: http://www.releituras.com/index.asp


*** Leia também o meu blog solo: http://simulacropoetico.blogspot.com/

11 comentários:

  1. Hoje não precisei enveredar pela senda (dizem que sempre vou a marte trazer os mais inusitados poetas) dos haicais para encontrar a obra desse grande mestre das palavras, para mim foi um orgulho trazer is haicais desse grande poeta para a minha humilde coluna domingueira

    ResponderExcluir
  2. Dizer o que? Nós que vamos bebendo a milenar inquietação do Mundo? Poeta demais!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Eu vou no Cabral para o maior poeta da língua portuguesa. Mas hoje é dia de Quintana e sem polêmicas desnecessárias! O Mago sempre tira onde passa.

    ResponderExcluir
  4. Eu tbm gostei daqui! rs Lindo blog! Seguindo!!!

    Beeeijos =*

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. o quintana foi um divisor de águas na minha praia.

    mago, maestro, magistral!

    ResponderExcluir
  7. hehehehe Quintana se garante mesmo =]

    ResponderExcluir
  8. "Não sabias?
    Os grilos são os poetas mortos…`

    Senti a angústia expressiva nas tão poucas palavras.

    No sereno tardio, a mesa
    daquele bar de Porto Alegre
    Verissimo, Quintana,
    poetas a cismar em febre -
    de verso e de prosa
    a angústia vida a narrar.

    Adorei essa postagem...
    já ouvi um audio livro do Quintana, o narrador tinha uma voz bem grave..
    incrível.

    ResponderExcluir
  9. Aline tb escreve poemas, certo!? Aline escreve haicais?

    ResponderExcluir