Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 11 de junho de 2011

MilkShake Literário


Caro Amor, não faça cerimônias, entre mesmo é sem pedir licença!
Olá Marcianos,
Que saudade imensa de todos! Quanta coisa boa eu estava perdendo por aqui... Mas como eu sempre digo, é muito bom poder estar de volta.
Aprontei algumas coisas nesse meio tempo :P Aproveitei que o computador estava de mal comigo e resolvi colocar algumas leituras em dia. Participei de um minicurso literário, comprei e ganhei livros novos (*-*), andei me estressando com as decisões do TCC... Contudo, não se preocupem que não vou aborrecer o precioso tempo de todos com as histórias de meus últimos dias! Hahaha :)
Bom, aproveitando que o dia dos namorados está batendo a porta, escolhi um romance para vir comentar com vocês. Afinal, o amor chega mesmo é sem pedir licença e nada como algumas histórias românticas para alegrar os corações apaixonados. Antes de entrar propriamente no livro, vou contar como é que o tal exemplar selecionado veio parar em minhas mãos...
No Skoob *só para variar* eu adoro ficar bisbilhotando os livros e logo após ler a sinopse já tinha decidido que queria comprar. A prova é tanta que adicionei logo em minha “estante” e marquei como desejado. Estou falando do seguinte título: Desculpa, quero me casar contigo.
Em uma de minhas visitas mais que prazerosas pela Livraria Cultura, regada a sorvete italiano *-*, entre aquela velha passeadinha de uma estante a outra, sempre de olhos bem abertos atrás de novidades, me deparo com um exemplar do mesmo! Não perdi tempo, me abracei com o livro e fui correndo verificar o preço.
Vocês acreditam que estava em promoção? Pois eu não acreditei! E acreditei menos ainda, quando descobri que na verdade o livro que eu tanto queria levar pra casa era uma espécie de volume II. O número I, estava bem próximo, e meus olhos brilharam muitooo mais, tenham certeza. Livro desejado, em promoção e em dose dupla, vai parar... Em minha estante! E nisso vocês podem acreditar :D
E chega de tanto blá blá blá e vamos ao que realmente interessa! O autor das duas obras é Federico Moccia, natural de Roma *-* e figurinha marcada na lista dos mais vendidos na Itália, ultrapassando a marca de um milhão e trezentas cópias e alguns de seus livros já foram traduzidos em mais de 13 países. Quanto ao título que me encheu os olhos pela segunda vez foi: Desculpa se te chamo de amor.
E é exatamente esse que vai preencher a coluna de hoje.
Confiram um pedacinho da sinopse:
E se for amor, amor de verdade?
Niki é uma adolescente espevitada que está prestes a terminar o ensino médio. Alessandro é um bem-sucedido publicitário de 37 anos, que acaba de ser abandonado por sua noiva. Apesar dos vinte anos de diferença, Niki e Alessandro se apaixonam perdidamente e viverão uma adorável história de amor que irá contra todas as convenções e preconceitos sociais.

Realmente a paixão é a primeira vista, mas eles demoram a assumir que estão caidinhos um pelo outro, principalmente Alessandro que passa a escutar várias piadinhas do tipo: “-É sua sobrinha Alex?”. E o romance entre os dois acontece de forma lenta, cheio de novidades e descobertas para ambos. É um verdadeiro passo a passo cheio de sincronia.
Acontece uma mistura de personalidades incrível, Niki é elétrica, ainda está passando por todos os conflitos adolescentes e suas maiores preocupações são apenas o próximo programa com as amigas, as festas, as melhores técnicas de surf e remotamente a faculdade que pretende cursar. Enquanto Alex é mais contido, pois já passou bem por todas as farras da juventude. E apesar de ser bem sucedido em sua profissão e ser o carro chefe de uma famosa agência publicitária, trás nas costas as cobranças dos pais por ainda não ter casado e constituído família, mesmo sendo o mais velho entre os irmãos.
Os dois são cheios de medo também, muitas inseguranças. Ele acha que logo ela vai enjoar da rotina e acabar caindo fora. Nick por sua vez, pensa que a qualquer momento a ex-noiva pode voltar e ela estaria servindo apenas de passatempo... Existem ainda os personagens secundários que completam perfeitamente todo o enredo, a exemplo os amigos de Alessandro (O desconfiado Enrico, o safardana Pietro e o submisso Flavio) e as amigas de Nick (Olly, Erica e Dilleta, as quatro se denominam As Ondas, contam sempre confidências umas as outras e se apóiam a cima de qualquer decisão, um sentimento forte como são as verdadeiras amizades, foi muito bem escrito através das garotas).
Fora as partes muito divertidas que o livro conta (Alex ensinando Nick a dirigir e em troca ela lhe ajuda a preparar as campanhas publicitárias, e os mesmos agentes da policia que estão sempre presentes nas mais inusitadas situações) é lindo ver e poder acompanhar de perto (sim, eu me sinto perto deles :$) aquele receio das declarações no começo do namoro, gestos calculados com medo de magoar, como Alex mesmo cheio de problemas se sente leve e sem preocupações só porque está apaixonado e Niki inventa milhões de desculpa para poder fugir e encontrar o amado.
No entanto, claro que nem tudo são flores nesse caminho. Alex me deu algumas raivas e decepções, Niki me deixou angustiada, mas é assim que eu gosto. Os personagens precisam mexer comigo, ou então nada feito! Ai ai ai *longos suspiros*
O livro não segue um modelo linear de história e intercala os diversos personagens da trama todo o tempo. O que me causou certa confusão no comecinho, mas logo se pega o jeito da história. Outro ponto, se você é maníaco por frases de livros e lê sempre querendo anotar as coisinhas que encontra, prepare o papel e a caneta, as tiradas de Moccia são adoráveis. Segue algumas:
“Um livro deve mexer nas feridas, aliás, deve alargá-las.
Um livro deve ser um perigo”
“Sabe qual é o problema dessa vida?
É que não se tem tempo nem para a dor.”
“O sucesso não é nada se você não tem com que dividir.”
Deu para sentir o clima? Espero que sim!
Então, fica a dica. Livro mais que recomendado... Assim que eu ler a continuação aparecerei por aqui contando sobre o desfecho desses dois. Ah! Existe o filme que foi baseado no livro. E ainda mais com Raoul Bova interpretando Alex, é muita felicidade :D Estou devendo assistir!










P.S:
· Aline Negosseki, bem vinda à nave mãe de Marte! É um imenso prazer tê-la em nosso time. Vida longa a essa parceria :D
· E hoje tem agradecimento especial para Filipe Isidro, que me deu uma luminosa idéia quando disse: - Esse livro é perfeito para se dar no dia dos namorados! Obrigada querido :*
Desculpem pelo tamanho do post, nem vou me alongar mais. Obrigada a todos que chegaram até aqui, aos que irão comentar e aos que não comentam também! É muito bom saber que tem gente aí do outro lado lendo as minhas idéias e que ama tanto a leitura.
Aproveitem o dia dos namorados ;)
“Não há nada a fazer ás vezes, o amor vence mesmo tudo”
Federico Moccia
Por hoje é só.
Saúde e Paz a todos.
Beijocas :*
@LyCintra

5 comentários:

  1. O que eu posso fazer é enumerar fatos:
    "[...] me abracei com o livro e fui correndo verificar o preço[...]" Fato 1

    "[...]meus olhos brilharam muitooo mais, tenham certeza[...]" Fato 2

    "Ai ai ai *longos suspiros*[...]" Fato 3

    Caros leitores vocês estão diante de uma das maiores devoradoras de livros que eu conheci em 27 rotações de vida. Pelas minhas contas ela leu esse ano um livro a mais ou menos cada 5 dias- esse número pode almentar (é claro) por que ela não lê apenas livros impressos. Adora um livro eletrônico que eu sei. Mas que uma leitora ela está se tornando um guru da literatura romântica - o que num futuro muito próximo deverá render um romance, autoral, de emocionar da 1ª a última frase. Anotem aí o que eu estou dizendo essa Ialy Cintra veio para ficar.

    ResponderExcluir
  2. Este livro é mesmo de outro planeta, de um que eu não conheço bem, mas me agradou. Apesar de previsível, a leitura parece valer a pena e os clichês existentes mostram-se servir apenas de base para algo muito maior. Quanto ao longa deve ser agradável e divertido, filme de sábado à noite.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a dica do livro e a resenha, perfeito, deu vontade de largar tudo correr na Cultura comprar um sorvetinho (aquele sorvete é de outro mundo) e me acabar nessa história \o/

    E sim, adorei essa frase: “Um livro deve mexer nas feridas, aliás, deve alargá-las. Um livro deve ser um perigo".

    ResponderExcluir
  4. *Hahahaha, Caro Dan... Fico sem palavras diante tantos elogios. :$ Só me resta agradecer e que os anjos digam Amém a suas profecias :)

    *É mesmo Italo, de um planeta que você deveria se aventurar mais a frenquentar, biblioteca de romances, kkkkkkkkkkkk' O filme, como escrevi antes, ainda estou devendo ver! Mas já fiz o download :D #DepoisTeConto

    *Pandoraaaaaaa *-* Que felicidade encontrar você por aqui! Fico feliz que tenha gostado e realmente, Livraria Cultura e Sorvete Italiano é um programa mais que perfeito!
    Volte sempre e seja muito bem vinda :*

    No mais, obrigada a todos que marcaram presença por aqui!

    Até breve.

    ResponderExcluir
  5. Eu ouvi falar muito desse livro D. Ialy!
    Queria muito ler sua matéria, mas não sei porque não aparece aqui =(
    Por isso fiquei lendo os comentário e me deu mais carica por ler sua resenha que o próprio livro!!! Ainda mais depois das palavras "um romance a cada 5 dias" lembrei-me dessa minha faze e senti uma profunda saudade. Vou rebuscá-la aqui, e eu entendi certo, vc está escrevendo um romance *--*

    beijinhos
    ALine

    ResponderExcluir