Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 25 de setembro de 2011

VISÃO PERIFÉRICA (N 3) – ENTRE HERÓIS, QUADRINHOS E OUTROS PENSAMENTOS




Hoje, optei por falar de algo um pouco diferente e que não sei se terá repercussão no bolg, pois alguns aqui podem ser cabeça demais para um papo tão nerd. Mesmo assim, peço licença aos preconceitos de alguns e agradeço a abertura de outros, para falar de um tema que me muito agrada: quadrinhos.
Não sou um profundo conhecedor de quadrinhos, nem mesmo um leitor compulsivo, mas conheço alguns que fizeram a diferença na minha forma de enxergar essa arte. Como a maioria das pessoas da minha geração, lia muito gibi na infância, principalmente do Menino Maluquinho, que ainda gosto. Na adolescência, porém, as meninas ficaram muito mais interessantes do que as histórias do Ziraldo e me afastei desta leitura sem nem me dar conta. Quando cresci um pouco mais, já depois dos vinte, me reencontrei através da internet com os quadrinhos, mas desta vez com algo destinado para um público um pouco mais velho.
Poderia falar de muitas histórias interessantes que pude acompanhar, hoje, porém, quero falar de meu herói favorito, que não é o Super-Homem, nem o Batman, nem o Wolverine. O melhor super-herói para mim foi publicado pela DC COMICS e se chama Homem-Animal. Fora os leitores mais assíduos e fãs de quadrinhos, poucos têm o conhecimento dessa obra-prima de Grant Morrison.
O personagem foi lançado originalmente em 65, mas durante a década de 60 e 70 foi relegado a um segundo plano e não obteve sucesso. Porém quando Morrison assume, na década de 80, o personagem passa a ter uma maior aceitação do público que se surpreende a cada nova edição.

O herói é Buddy Baker e ao contrário do clichê, não possui identidade secreta. Todos sabem quem ele é, quem é sua família, onde mora e sabem que ser um herói é o seu ganha-pão – isso mesmo, ele recebe um salário pago pela Liga da Justiça, como um membro secundário. Através de um contato com uma nave alienígena Buddy adquiriu o incrível poder de copiar os poderes dos animais que ele entrar em contato. Quando está perto de uma águia, por exemplo, pode voar ou ter sua visão; perto de uma formiga passa a ter força o suficiente para carregar vinte vezes o seu próprio peso e, assim por diante. 
No entanto, fora as coisas que toda revista de super-heróis tem que ter, como super-vilões e diálogos em meio a batalhas, a história de Buddy Baker vai muito além do óbvio. (A próxima frase pode ser um spoiler imperdoável, por isso se você já quer ler a revista não leia o que escrevo daqui pra baixo). Ele passa por um processo de busca espiritual, tentando entender-se, no qual é levado a um xamã, toma peyote, tem uma viagem astral e encontra-se com seu criador: Grant Marrison (e não deus).
O Homem-Animal trata do homem por trás desse herói: o homem, animal de fato, humano, apesar de tudo, falível e em busca de algo maior para dar sentido a sua vida. Por conta disto, recomendo a leitura.
O Vertigem HQ disponibiliza não só suas histórias como muitas outras que compensam dar uma olhada. Disponibilizo aqui o link do Vertigem HQ para baixar todas as histórias do Homem Animal. Lembro, porém, que, pelo menos para mim, a parte interessante é a escrita por Grant Morrison, que vai da 1ª edição até a 26ª.

2 comentários:

  1. Tá esse cabra eu não conhecia não, fosse longe boy hehehe

    ResponderExcluir
  2. Ahhh, quadrinhos *_*
    saudade de quando eles eram minhas leituras favoritas...
    Adoro um Super-Herói! E Superman é o meu favorito Lucas :P

    Anotei a dica, vou dar uma espiadinha no Homem-Animal,ele tem uma temática diferente da habitual. Quem sabe me animo a voltar aos quadrinhos?

    Abraços!

    ResponderExcluir