Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 31 de dezembro de 2011

O Balanço

Deus me livre
que um dia encontre meu filho
pendurado em uma árvore,
no estranho balanço
com o vento a empurrá-lo
[de sul a norte.

Deus me livre
que as cordas sustentem
o seu peso ainda tão jovem,
o seu coração irrequieto
sem mais ranger, sem
[um porquê.

Deus me livre
não relembrar seus sorrisos
quando olhar esse cajueiro
e ter que manda-lo cortar
e cimentar todo o jardim.

(Originalmente publicado na PERIFERIA DO MUNDO)

4 comentários:

  1. Caro poeta, fiquei muito feliz com a tua visita e comentário em meu blog!
    Desejo que em 2012 você seja abduzido para o planeta da poesia e volte nos brindando com textos cada vez mais incríveis!!!
    Estou me divertindo muito aqui no teu espaço de talento.
    Feliz ano novo!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Lucas, bonito poema, bonita imagem.
    Um abração. Tenhas uma linda passagem de ano e um maravilhoso 2012.

    ResponderExcluir
  3. Caro Lucas, acredito já tê-lo lido ... interessante do poema é que cada vez que você o lê, parece que uma beleza, ainda não revelada por algumm motivo, surge de súbito!

    Muito bom!

    Um forte abraço e feliz 2012!

    Muita Paz!!

    ResponderExcluir