Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 1 de abril de 2012

NASCENDO

Só mesmo com vocês eu posso dividir uma ideia destas:
     Os fenícios, blá-blá-lá, inventaram o alfabeto fonético, blá-blá-blá, levaram para a Grécia no século X a.C.,etc.
     Agora, o que eu pensei: imagine que deve ter sido um cara ou no máximo uma turma que inventou essa coisa inacreditável que é um traço gráfico para cada som que o ser humano é capaz de produzir. Imagino o cara sentado a uma mesa velha, e experimentando: a, é, i, ó, u. Aí ele teve uma descoberta incentivadora: incluindo o som ê, ô, e ï, o cara descobriu que os sons vocálicos são, no máximo, 10. Aí ele pensou: vou inventar um desenho, um traço,  para o som a...
    Bem, ele passou uns 10 pondo som nisso e naquilo, os traços, e foi para os sons martelados das consoantes, t, p, d.
    Depois de uns dias, um tempo, ele resolve escrever o som de uma palavra inteira. Já pensou que vertigem esse cara teve nessa hora em que ele ia fazer essa tentativa? E ele escreveu a palavra casa. Olhou para aquilo espantado com sua própria ousadia e ficou pronunciando: casa, casa, casa. Como se sua própria boca fosse um aparelho dos diabos.
   Eu pergunto: será que ele tinha ideia de que estava fazendo uma das maravilhas da humanidade, uma coisa que transformaria o mundo?
   Bem, o fato é que ele virou para a namorada ou namorado e disse: - Venha ver, escrevi o som da palavra casa. Ao que a criatura respondeu: - Ah, vá procurar o que fazer, tô aqui ocupada com a arrumação da casa.
   E perdeu a oportunidade de ser a segunda pessoa a ter contato com – repito, porque não há expressão melhor – a maior maravilha que o ser humano já produziu. 

Tom Zé 


Fonte: http://tomze.blog.uol.com.br/index.html

2 comentários: