Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Rildo de Deus no Castanha Mecânica



Quem será capaz de responder a interessante indagação de Rildo de Deus? Ora, a sonora pergunta do jovem poeta e estudante de filosofia pode até ser respondida monossilabicamente. Mas, convenhamos, antes ela nos põe para pensar na estranheza da pergunta. Uma estranhaleza, conforme cantou a Aguilar e a Banda Performática, eu diria. A poesia em prosa e a prosa poética de Rildo de Deus aqui presentes perguntam: Uma Jaca Jacaiu Perto de Tu?


CONFIRA O E-BOOK LÁ NO CASTANHA MECÂNICA.



POEMA PARA ÍCARO

Lembro-me daquele dia. Faz tempo. Antão do Egito tinha ido me visitar.
Contou-me da estória de Dédalo fugindo pelo ar.
Chico. O velho Chico recitava: CHUÁ-CHUÁ! 
Na fumaça do cachimbo
Sete vezes um barco pintava lá.

Terra seca, o sol a queimar
Gotas de cera pingavam do alto.
Caiam no rio como se o sol tivesse a chorar.
A água ficou azul cor de mar e
As telhas lá de casa começaram a estralar.

Caiam pedaços de cera, pena e papelão
E depois nunca mais nevou no sertão.
Logo menos era Ícaro caindo com a cabeça no chão.
Antão tinha água do Nilo.
Eu tirei água do cacimbão.
Jogamos na cara de Ícaro e começou-se a confusão.

Rildo de Deus
  

2 comentários:

  1. Gostaria que Ícaro tivesse voado, seria ele mais feliz e teria ele alcançado a maior das delícias: a liberdade!

    ResponderExcluir
  2. Grandes pesquisadores da mitologia descobriram que Ícaro foi pela TAM(rsrsrs)

    ResponderExcluir