Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 28 de julho de 2012

Cinemarte, por Wesley Moreira de Andrade

Peço perdão pelo atraso do post em relação aos acontecimentos aqui relatados, mas antes tarde do que nunca...


Assustador como uma sala de cinema pode virar o palco para uma inominável tragédia. Podemos dispor de uma dezena de adjetivos, porém nenhum descreveria com exatidão o ocorrido em Aurora, no Colorado (EUA), na sessão do filme Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Claro que as especulações surgem aos montes e muitos tentam relacionar o conteúdo do filme com as motivações do assassino que disparou tiros a quem estivesse na sua frente durante a exibição do blockbuster do Homem-Morcego. O mesmo aconteceu aqui no Brasil em 1999, quando Mateus da Costa Meira também matou pessoas enquanto o filme Clube da Luta era projetado no Shopping Morumbi. Acusar um filme de despertar ou incentivar a violência e atos extremos como o ocorrido na sessão da meia-noite americana é no mínimo um ato ingênuo e simplista. Filmes violentos sempre existiram e se estes influíssem mesmo no comportamento de algumas pessoas, ir ao cinema se tornaria a atividade mais perigosa da face da Terra assim como caminhar sobre um campo minado.
Já tinha escrito sobre o ato coletivo que significa e que representa o ir ao cinema. Todas as pessoas reunidas no único intento de divertir-se por uma hora e meia ou mais. Situações absurdas como a ocorrida na sessão do Batman, contribuem para arrancar o aspecto sagrado deste espaço, principalmente para os cinéfilos. Um pouco do cinema morre junto com aquelas 12 vítimas fatais e os 58 feridos de Colorado, um pouco da crença em sua magia é abalada com mais uma ignominiosa tragédia americana.
Resta apenas o pesar pelo ocorrido, deixar as explicações lógicas de lado, que por mais que o autor de tal barbárie dite suas razões, nenhuma delas se justificarão por si próprias.
E que o cinema prossiga com a sua intenção de nos fazer sonhar...

3 comentários:

  1. Boa postagem, cinéfilo amigo!

    Comungo de sua opinião sobre a influência do cinema num ato hediondo como esse. Lembro de um ato isolado acontecido durante a exibição de Matriz, que foi acusado juntamente com o polêmico cantor Marilyn Manson.

    Uma lástima o que ocorreu em Aurora!

    Muita paz!

    ResponderExcluir
  2. Wesley
    Concordo, não há relação de qualquer filme com tragédia que se queria vincular a ele. Se assim fosse, essa garotada que curte videogames violentos (os quais costumam ser muito mais lancinantes que quaisquer filmes) sairia matando gente por aí. O desequilibrado "Coringa" de Aurora teve apenas a infeliz ideia de perpetrar seu ato covarde e ignóbil, durante a projeção de um filma, mas nada do que ele fez vincula-se ao filme. Abraços e parabéns pela postagem, JAIR

    ResponderExcluir