Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Mini conto



INFINDÁVEL CURIOSIDADE
Oito ou mais horas por dia, de sol a sol, trabalho bruto e cansativo que se repete todos os dias e todas as horas; semanas e meses consecutivos, sempre. Cavar buracos de certa dimensão que devem acolher corpos daqueles que, por algum motivo, deixaram esta atribulada existência terrena. Coveiro por necessidade, a morte lhe proporcionava os meios de vida. Os infindáveis desfiles de cadáveres que sumiam nas covas que cavava, não lhes eram indiferentes, faziam-no pensar, sentir-se curioso. Para onde iam? O que lhes esperava além? Seriam felizes? Estarão melhores lá, do que eu aqui? A curiosidade e o cansaço convenceram-no. Deitou-se na cavidade que acabara de criar e deixou-se cobrir de terra. JAIR, Floripa, 21/11/09.

5 comentários:

  1. Muito bom, teu mini conto, Jair.
    Um abraço. Tenhas uma boa noite.

    ResponderExcluir
  2. Massa.

    Coveiro não morre, é arrebatado.

    ResponderExcluir
  3. O conto é ótimo, porém não compartilho da curiosidade dele de jeito nenhum!

    ResponderExcluir
  4. Eu retribuo os seus inúmeros limeriques

    A cidade dos "pé junto" anoiteceu
    E o amor de sua vida pereceu
    era lua nova
    cavou sua cova,
    deitou, fechou os olhos e assim, morreu

    ResponderExcluir