Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 30 de setembro de 2012

Haicais além de Ficções

       Haicais de Domingo

        Foi através de Bráulio Fernandes que, além de professor e amigo e um dos maiores conhecedores da literatura moderna, que conheci um pouco da fascinante obra do escritor argentino Jorge Luis Borges. À época, Bráulio me indicara a leitura paciente e atenta de História Universal da Infâmia. Lembro que fazia a mim mesmo repetidamente a mesma indagação a cada página que lia: porque nunca sequer falaram sobre ele em meus tempos de escola? Será que existe uma ideia equivocada de que a literatura latino-americana não é tão importante quanto às outras?
        Confesso que continuo não sendo um grande conhecedor da obra de Borges, contudo, desde então procurei mais sobre outros autores e encontrei belos escritos, tais como os de Ernesto Sábato, também argentino.
        Escrevo minhas singelas linhas nesse espaço há um pouco mais de um ano e, por vezes, recebo email`s querendo saber se sou conhecedor profundo da filosofia zen, pelo fato de compor esses poemetos, meus haicais. A esses caros amigos, os quais nunca respondi, dou a devida resposta oriunda de uma opinião minha, sem citar fontes ou coisa que valha. Indaguem-se se por acaso é preciso um pássaro conhecer as leis da física para conseguir voar dezenas de quilômetros quando chega uma determinada hora em que o clima será mais favorável noutra região longínqua. Nem por isso eles o deixam de fazê-lo.
                                                     
       Haicais são pequenos poemas, de poucas sílabas e linhas, que intentam transmitir imagens, sejam elas da paisagem de um lugar ou até mesmo de fato ocorrido no cotidiano das selva de pedra das cidades atuais. Admito que sempre tento fazer isso utlizando uma certa dose de humor e às vezes sou criticado por tal fato. Não me atenho à elas, haja vista que críticas devem ser encaradas como um ato tão natural quanto um bom elogio.
       Como humildemente não desejo me ter cá nessa postagem como único exemplo, gostaria de por haicais de Borges que, até onde sei, não era zen. Por sua inteligência notável e perspicácia invejável, às quais tenho a perfeita noção que nunca as terei num nível equivalente, sensibilizou em algumas ocasiões e elaborou belíssimos haicais. Gostaria de dividí-los agora para que, nesse domingo que agoniza o mês de setembro desse ano, possam sentir um pouco do talento deste ícone que passou parte de sua vida acometido de cegueira, porém não deixou de enxergar a vida com um olhar muito mais atento e bonito do que todos nós juntos.
        Ei-los:

Hoje não me alegram 
as amendoeiras do horto.
Lembram você.
 (J.L.Borges)
Trinado ao longe. 
O rouxinol não sabe
 que te consola.  
(J.L.Borges) 

Daquele dia 
não mais movi as peças 
no tabuleiro.
(J.L.Borges) 



Sob o alpendre
 

o espelho reflete 
somente a lua.
(J.L.Borges) 

        Atrevo-me assim, finalizar a coluna de hoje, com um singelo haicai em homenagem ao autor de Homem da esquina rosada.

Sim, são tais e quais
Os homens e espelhos:
procriam demais!
(Cristiano Marcell)

Um ótimo domingo a todos e Muita Paz!



.


18 comentários:

  1. Belíssima postagem Cristiano, parabéns e um domingo de paz pra você e sua família.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Bondade sua, prezada Ana! Muita paz para ti, que produz belos escritos!

      Excluir
  3. Cristiano, sinceramente adorei. Nunca antes tinha ouvido falar do escritor argentino, (confesso ) mas vou procurar mais de sua obra para ler pois tocou meu coração os pequenos versos.
    Engraçado, ou estou sensível demais, ou poucas palavras andam atingindo em cheio o alvo.
    Bom Domingo meu amigo(já o considero assim)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimada amiga Diana, muito obrigado pelas belas palavras! Fique em paz!

      Namastê!!!!!

      Excluir
  4. Ótima postagem, camarada tricolor!
    Não conheço muito de Jorge Luis Borges, mas sei que ele é dos bons, e, tenho a honra de ter em minha estante uma de suas obras.
    Um ótimo domingo e um belo amanhã!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande amigo tricolor, leio com paciência! Muita paz pra você!

      Excluir
  5. Limerique

    Saber fazer haicais quem me dera
    Assim como Borges genial o fizera
    Questão de talento
    E não de momento
    Quem quiser tanto, sentado espera.

    ResponderExcluir
  6. Lembrou a coluna nos tempos de Everson, e é um bom diálogo com o último Visão Periférica do Lucas: http://poetasdemarte.blogspot.com.br/2012/08/visao-periferica-ilhados-culturalmente.html

    ResponderExcluir
  7. Que belo texto Cristiano. E que lindos os haikais desse poeta que eu não conhecia. Vou ler sobre ele. Adorei. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um fortíssimo abraço, minha cara amiga Regina!

      Excluir
  8. Amei sua postagem Cristiano. Já havia lido muito pouco sobre ele e você me instiga a conhecê-lo melhor. E seu haicai finalizando ficou um primor.

    Abraços.

    ResponderExcluir