Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Manuel Bastos Tigre

Envelhecer
 
Entra pela velhice com cuidado,
Pé ante pé, sem provocar rumores
Que despertem lembranças do passado,
Sonhos de glória, ilusões de amores.
 
Do que tiveres no pomar plantado,
Apanha os frutos e recolhe as flores
Mas lavra ainda e planta o teu eirado
Que outros virão colher quando te fores.
 
 
Não te seja a velhice enfermidade!
Alimenta no espírito a saúde!
Luta contra as tibiezas da vontade!
 
 
Que a neve caia! o teu ardor não mude!
Mantém-te jovem, pouco importa a idade!
Tem cada idade a sua juventude.

2 comentários:

  1. Saber envelhecer com juventude na alma acima de tudo é uma arte que espero aprender.
    Muito lindo!

    ResponderExcluir
  2. "Tem cada idade a sua juvntude" é uma ótima chave de ouro pra terminar um soneto.
    Aqui neste comentário, estou lhe enviando um soneto. Se lhe interessar, publíque-o:.
    Ficarei grato.
    POEMA, AOS OITENTA

    Francisco Miguel de Moura*

    Comecei minha vida pelo amor,
    Amor à mãe, ao pai, tão bons e crentes,
    Amei os meus irmãos e meus parentes,
    Que a arte para mim rimava em flor.

    Namoradas, no tempo, eu alcancei,
    Que motivaram versos a mancheias,
    Umas, novas e belas, outras feias...
    Príncipe fui, pensando ser um rei.

    Sorridente e cativo da palavra,
    Da verdade que flui e então se lavra,
    Resisti bem aos sonhos em reverso,

    Pois carreguei com força o meu passado,
    Fiz glosas sobre o bem e o mal-amado,
    E me encantei nas curvas do Universo.

    Teresina, PI, 16/06/2013
    _________________
    *Francisco Miguel de Moura, escritor brasileiro, mora em Teresina, Piaul. “Poeta da “Geração 60”, assim o classificou a Profa. Nelly Novaes Coelho. Já na visão do crítico Fábio Lucas, “em FMM nota-se, às vezes, uns toques de humor e sensualidade, para superar o insosso quotidiano”.


    ResponderExcluir