Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quarta-feira, 20 de março de 2013

SÉRIE POETAS PERNAMBUCANOS

EU PERDI O MEDO DA SOLIDÃO (excerto)


Sou apenas alguém solitário,
não pretendo ser diferente,
porém, não quero ser igual,
não desejo ser o mais forte
nem ser melhor que ninguém;
tenho como único critério
dançar conforme o meu modo,
sem me importar com a música.
Sou apenas alguém solitário
— como também é muita gente —
que fez da solidão a ideal
e a mais perfeita consorte;
vivo como melhor me convém:
isso me faz ser um mistério,
há muita gente, eu incomodo.
Sou apenas alguém solitário,
eu não tenho em minha mente
nenhum sonho em ser especial,
ou quem sabe de ter a sorte
de encontrar e amar alguém
para construir um império.
Sou apenas alguém solitário
buscando um jeito eficiente
para se curar de todo o mal,
antes da chegada da morte
que me guiará para o além.
Sou apenas alguém solitário
que descobriu, recentemente,
que ninguém enviará o sinal
para seguirmos nosso norte.
Sou apenas alguém solitário
que está na linha de frente
contra tudo o que é banal.
Sou apenas alguém solitário
que aprendeu a ser contente.


Fred Caju

2 comentários:

  1. Acho que ser solitário em algum momento da vida, é essencial para auto-descobrir-se.

    ResponderExcluir