Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 8 de junho de 2013

Sábados Vadios

Descendente directa do cistre, a guitarra portuguesa, a partir do séc. XIX ganha larga adesão popular, e não só, e inicia a sua caminhada para a consagração.
Usada em ambientes musicais variados, em Lisboa fixa-se como o instrumento de acompanhamento das e dos fadistas e também como instrumento solista, tocando sobretudo as chamadas variações. Noutras regiões tem aplicações diversas. Os modleos de construção vão-se fixando e originam três escolas de constructores de guitarra portuguesa: Lisboa, Porto e Coimbra.
A afinação, depois da afinação proposta por Silva Leite vaiou desde a afinação natural, do agudo para o grave - Si, Sol Mi, Si, Sol, Mi, a afinação preferida do guitarrista João Maria dos Anjos, a afinação Mouraria - Si, Sol, Mi, Si, Lá, Mi, a afinação do Fado ou de Corrido - Si, Lá, Mi, Si, Lá, Ré,.
Em Coimbra floresceu um nicho de toque de guitarra portuguesa, que originaria uma escola própria de toque e afinação.
Foi o genial Artur Paredes quem primeiro iniciou os estudos para a transformação da arte de tocar guitarra na Coimbra dos anos 20. Estudando a afinação e as formas e dimensões e o toque da guitarra portuguesa. Acabou por ser em Lisboa por volta de 1940 que Artur Paredes fixou a forma da guitarra portuguesa que pretendia, e que em virtude do seu enorme contributo para a música de Coimbra, passou a ser designada por Guitarra de Coimbra e com a afinação - Lá, Sol, Ré, Lá, Sol, Dó.
Pai do futuro genial guitarrista Carlos Paredes, Artur Paredes é o Mestre incontestado da arte da guitarra a que se chama "de Coimbra".
Carlos Paredes, desenvolveu um estilo próprio e com um toque algo diferente do seu pai, mantendo embora as características do chamado toque de Coimbra, e conduziu a guitarra para voos e sons que exprimem de uma forma exemplar a difícil "arte de ser português".
Deixo um trecho de Carlos Paredes, Em Memória de uma camponesa Assassinada:



8 comentários:

  1. Abduzida fui pelos acordes de Paredes!!

    beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Joelma. De facto é uma boa sensação ser abduzido por um som assim.
      Bom fim de semana.
      Beijos.

      Excluir
  2. todo sábado aprendo mais um pouco da cultura musical lusa =]
    António vc toca algum instrumento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, D.Everson.
      Sim, aprendi um pouco de guitarra portuguesa no estilo de Coimbra.
      Abraço.

      Excluir
    2. hummm sensacional =]
      Sou músico amador!

      Excluir
  3. Que músico maravilhoso!, Antônio Eduardo. Estou fascinada, encantada com Carlos Paredes! Gosto demais de música instrumental. Obrigada por partilhar conosco.
    E você, quando vai fazer uma apresentação sua? :)

    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. De facto Carlos Paredes foi um músico e guitarrista extraordinário e verdadeiramente genial.
      Uma apresentação minha? Um dia, pode ser que aconteça.
      Um abraço.

      Excluir