Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

FILOSOFANDO Á TOA 21



SOBRE A AMIZADE
Por: Célio limA.  c.p.b.p.jr:.

“Às vezes quando eu chego em casa, cansado vou deitar / Imagens vivas na memória, vêm me visitar  / São amigos que tenho, gente que eu conheci  / Pessoas que mesmo distante, nunca esqueci / Vera já não está em coma, seu coração parou / Ricardo pediu demissão, ele não suportou / Tita continua firme, casada com o Manuel / Dayse me deu tantos presentes, ainda uso seu anel / Renata um dia cortou os pulsos, ela queria parar de viver / Claudia tinha tanto dinheiro, mas não sabia o que fazer /  Rubão corria atrás de algo, eu não sei se ele encontrou / Franja e Walter desapareceram, juntos com o tempo que passou / Miguel,  Albertino e Arthur, sempre foram leais / Seu Seba,  Aécio e 'Do Rio', figuras não existem iguais / Nós jogamos, perdemos,  ganhamos,  mas não paramos de apostar / Por mais longe que eu esteja, eu sempre vou me lembrar / Eu sempre, sempre vou me lembrar”. (Marcelo Nova)

                                                                                                         
Pra trabalhar esse tema recorrerei ao cancioneiro popular alem da parceria com alguns philospoetas para exemplificar, digo nitidificar melhor com as coisas por mim pensada e refletida a esse respeito. Da canção brasileira recorro aos sertanejos: Teixeira e ao mestre Domingos que nus tem a dizer na canção: “Amizade sincera”, que: “A amizade sincera é um santo remédio, é um abrigo seguro, é natural da amizade o abraço, o aperto de mão o sorriso”. Já em Omar Khaiami em suas “Rubaiatas” nos aconselha o degustar de um bom vinho, boas amizades e do colo aos abraços das amantes: “Se bebes vinho bebê-lo-ás em roda de amigos ou acariciando nos braços mulher...”. Sobre esse negocio de amizade entre homem e mulher. Percebo que no meu cotidiano há com normalidade, a amizade entre homens vejo nelas uma certa brodagem que se dá perante as futilidades da vida, como o futebol de domingo, a cerveja companheira do churrasco ou como as das causas nobres, parcerias, projetos, empreendimentos ou as ideologias. Entre as mulheres percebo perante as próprias conversas a respeito que há certa competição e até ciumeira, não me estenderei nesse ponto por antihulmildementefalando reconhecer a minha ignorância perante o todo e ter apenas uma visão superficial e não um melhor embasamento histórico/teórico a esse respeito. Mas usarei verso da canção do Veloso para vos aconselhar e vos desaconselhar perante as boas e as más-companhias no quesito referente às tuas amizades: “Cada um sabe da delicia de ser o que é”!
E por falar nisso eu como amigo da sabedoria, confesso que sou um degustador das velhas, novas e imediatas formas de amizades, seja as reais, existenciais e as virtuais também. Brindo a vida e aos amigos, sem porem ter obrigação alguma de vê-los ou de revê-los com frequência certa. Mas quando em os encontros, os ter e renovar por assim dizer os laços que se renovam e que faz ser o que se é a amizade em si. Vejo porem essa amizade tal qual uma árvore em que às vezes se é necessária algumas podagens, balança-la para que as folhas secas deem lugar a algumas novas folhas, outras vezes deixar caírem ao solo para o fertilizar ou simplesmente o jogar ao lixo os frutos estragados em si.
VEJO Q HA !NTERESSE S!M EM TODA FORMA DE AM!ZADE
SEJA OS BONS, O SORR!SO, A COMPANH!A,
OS PROJETOS/PROJETE!S
ASS!M COMO NOS MALES:
O S! PROMOVER, O STATUS, A V!TR!NE,
O DESF!LE OU A PROC!SSAO...
TANTO EM HOMENS, MULHERES, AN!MA!S
OU NA CASA DA PUTA Q PAR!U !!!
TENHO COMO BONS AM!GOS
OS VERDADE!ROS Q SABEM O MOMENTO
DE APARECEREM, SE AUSENTAREM,
METEREM O DEDO NA FER!DA,
EMPRESTAREM O OMBRO PRO CONSOLO
OU ATE ME MANDAREM TOMAR NU CENTRO DO CU...
QUANDO EU EXTRAPOLO EM ALGO MESMO
OU QUANDO ASS!M O FOR PREC!SO
PRO PROPR!O BEM DA RELAÇÃO...
NU + SAUVAS
Y BR!NDO A V!DA
MEUS AM!GOS
MEUS AMORES
Y M!NHA NAÇAO FDP
! ! !

E nessas digitais linhas mando meu abraço aos amigos de estrada e de produção e direi como Raulzito naquela canção do album “ABRE-TE SESAMO” : “A fé que me faltar eu vou buscar em você“s”. Deyvide Galindo, J. Marcelo Barbosa, Ednaldo“s”, Miguel Vieira, Antonio Rodrigues, Aline de Andrade, Edna Albuquerque, Luciana, Márcia“s”, Marina, Nadja, Dafne, Mica, Sheila Silva, Rildo de Deus, Zizo, Miró, Valmir Jordão Ete, Sandra Lucena, Palhoma, Ivan, Bruno, Patrícia Silva Henrique Brainer.  

“A amizade sincera é um santo remédio / É um abrigo seguro / É natural da amizade / O abraço, o aperto de mão, o sorriso / Por isso se for preciso / Conte comigo, amigo disponha / Lembre-se sempre que mesmo modesta / Minha casa será sempre sua  / Amigo / Os verdadeiros amigos / Do peito, de fé / Os melhores amigos / Não trazem dentro da boca / Palavras fingidas ou falsas histórias / Sabem entender o silêncio / E manter a presença mesmo quando ausentes / Por isso mesmo apesar de tão raros / Não há nada melhor do que um grande amigo”. (Renato Teixeira / Dominguinhos)
OBS: Célio limA. (ATIVISTA CULTURAL) É filosofo por natureza; anarquista por tesão  e poeta por diversão. Membro fundador dos movimentos literanarkos: A Sociedade dos Filhos da Pátria; A Liga Espartakista-Sempre Mais!!!. Atua nos Blogs: http://salveopoetasalve.blogspot.com.br/http://sexopoemaserocknroll.blogspot.com/http://poetasdemarte.blogspot.com/ http://tribunaescrita.blogspot.com/
-c.p.b.p.jr: (O POETA-MATUTO-MARG!NAL).


2 comentários: