Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

CONFRONTOS E CONFLUÊNCIAS,

Sons irmãos de sangue em Pernambuco:


A banda de Pau e Corda é "afilhada de Gilberto" Freyre:


Na contracapa do LP, há o seguinte texto de apresentação, escrito pelo sociólogo Gilberto Freyre, conterrâneo dos músicos:

A poesia escrita no Brasil nasceu no Nordeste: em Pernambuco.

Foi isto no século XVI. O poeta, Bento Teixeira. Talvez tocasse viola, como os jovens que morreram em Alcacer-Kibir.

Mas mesmo antes da escrita, deve ter aqui madrugado a poesia cantada. As que primeiro cantou no Brasil o azul de umas águas, o verde de umas matas, o moreno de umas mulheres diferentes das europeias.


De modo que o novo e admirável grupo de jovens do Recife que cantam sua poesia acompanhada de música - os jovens da "Banda de Pau e Corda" - cantam pelo Nordeste de sempre. É novo e é de sempre.


De Waltinho, quase um menino, são quase todas as músicas aqui reunidas. Outro quase menino é o Paulinho, contrabaixo. Roberto Andrade é o letrista de quase todas as músicas do disco. Sérgio Andrade é também letrista e ritmista. José Matias, flautista e Paulo Fernando, violeiro.


Todo um conjunto marcado pelo amor às águas e às mulheres do Nordeste, sem que sejam esquecidos Vitalinos e Caruarus tão das terras menos úmidas, mas também tão nordestinas, desta parte do Brasil. Um Brasil, este - o Nordeste - de onde tem brotado tanta música junto com tanta poesia.
Faixas:

1. Vivência [Roberto Andrade/Waltinho] 00:00
2. Pai de Barro [Paulo Fernando/Roberto Andrade] 03:53
3. Recado [Waltinho/Sérgio Andrade] 06:24
4. Lampião [Roberto Andrade/Waltinho] 09:06
5. Alegoria [Roberto Andrade/Waltinho] 14:52
6. Banco de Feira [Roberto Andrade/Waltinho] 17:32
7. Vida de Vaqueiro [Roberto Andrade/Waltinho] 20:31
8. Só de Brincadeira [Waltinho] 24:02
9. A Seca Chegou [Waltinho/Sérgio Andrade] 26:13
10. Ciranda do Mar [Roberto Andrade/Waltinho] 28:44
11. Voltei, Recife [Luiz Bandeira] 31:50



Já o quinteto violado "digamos" que é um afilhado de Ariano Suassuna:

(0:00) 1. Asa Branca (Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira)
(5:42) 2. Freviola (Marcelo Melo)
(7:54) 3. Santana (Fernando Filizola)
(12:14) 4. Reflexo (Luciano Pimentel - Fernando Filizola - Toinho Alves)
(16:44) 5. Imagens do Recife (Deda - Marcelo Melo - Toinho Alves)
(18:55) 6. Roda de Ciranda (Marcelo Melo - Toinho Alves)
(22:12) 7. Baião da Garoa (Luiz Gonzaga - Hervê Cordovil)
(25:41) 8. Acauã (Zé Dantas)
(29:44) 9. Marcha Nativa dos Índios Quiriris (Toinho Alves - Marcelo Melo)
(33:10) 10. Vozes da Seca (Luiz Gonzaga - Zé Dantas)
(36:05) 11. Agreste (Fernando Filizola)


Nenhum comentário:

Postar um comentário