Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Nem Marte, Nem O Poeta


Nem Marte é estático,
Nem o poeta patético.
Nem marte é estético,
Nem o poeta apático.

Marte não para de girar,
Poeta não para de escrever.
Marte não para de estremecer,
Poeta não para de pensar.

Movimente-se poeta,
Gire-se Marte,
Faça-se a luz do profeta e da arte.

Movimente-se Marte,
Gire-se poeta,
Faça-se a arte do profeta.

2 comentários:

  1. Soneto-acróstico
    Aos marcianos

    Aos verdadeiros vates iluminados
    Poetas anchos de alumbramento
    Os meus abraços mais apertados
    E meu acertado reconhecimento.

    Tudo que sei dessa minha poesia
    A vocês com justiça devo imputar
    Sabendo eu como um poeta fazia
    Dei-me só ao trabalho de os imitar.

    E nem de todo consegui destarte
    Mesmo por tais mestres inspirado
    Apenas não assim bom nessa arte

    Real ou sonhável, por outro lado
    Tudo me vem do Poetas de Marte
    Esse povinho mui bem endiabrado.

    ResponderExcluir