Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 5 de julho de 2015

O exame

Mais de quarenta determina o ensejo

De cheque na saúde nesta ocasião
De bunda prá cima na maca me vejo
Um exame na próstata, esta a razão.

Na sala adentra um médico gigante
Grossos dedos numa mão enorme
Esfíncter se torna medroso gritante
Existe no ar medo que o transtorne.

Usar como entrada o que é saída?
Aquele dedo deflorou meu traseiro
E minha bunda ficou toda dolorida,
Em fogo queimando como braseiro.

Agora o que eu faço da minha vida?
Dei a bunda e nem ganhei dinheiro!

Um comentário: