Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

DANTES

  
No quintal do inferno do mundo
Murcham maracujás
Crianças não brincam mais
Ratos assustam princesas
E só restaram tragédias
Fumando a poeira do cérebro

Na sucursal do inferno de pragas
De duríssimas esquinas
E absurdas encruzilhadas
Colibris engaiolados, semáforos
Vermelho buzina
Pneus prateados e homens
Aqui, nesses dias abafados
Trocentos desejos surdos
Sete mil danações
E apenas um da legião de nenhures

Aqui, um poeta


Samuca Santos

5 comentários:

  1. O poeta também se trata de uma espécie de profeta: Louco

    ResponderExcluir
  2. Pegou forte com as palavras, realidade a flor da pele...
    Que desabafo Samuca!

    ResponderExcluir
  3. olhos cheios de areia, que visão!

    ResponderExcluir