Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

domingo, 10 de outubro de 2010

HAICAIS DE DOMINGO

Por D.Everson
Bem, na semana da criança vou mandar o autor talvez mais conhecido pelo público infantil no Brasil – vou mais além ainda dizendo que talvez seja ele um dos precursores da literatura fantástica já que criara um verdadeiro mundo fantástico em sua obra mais pop mesmo que sua obra sendo fruto “na sua maior parte da reunião de textos escritos para jornais ou revistas.”¹ [Sujeito proativo] engajou-se em campanhas por saúde, defesa do meio-ambiente, reforma agrária e petróleo, entre outros temas que continuam atuais”¹. Segundo ele “A nossa literatura é fabricada nas cidades por sujeitos que não penetram nos campos de medo dos carrapatos”.
Sua contribuição para a propagação do haicai segundo Guttilla (2009, p. 138) “restringiu-se a um único e pioneiro texto que, ainda hoje segue desconhecido dos especialistas no assunto. Salienta Guttilla (2009, p. 138) o texto “chamava-se ‘A poesia japonesa’ e fora publicado em O minarete em 1ª de março de 1906 , assinado por Hélio Bruma (um de seus vários pseudônimos).” Criará no entanto um pseudo especialmente para introduzir o leitor à cultura nipônica: o Frances Belet. Guttilla (2009, p. 138) comenta que “tendo em vista a grande influencia que exerceu sobre os modernistas, principalmente Oswald de Andrade, é possível especular que ele teve importante papel na popularização e na aceitação do haicai pelos idealizadores da semana de arte de 1922”. Sem mais rodeio com vocês o criador do fantástico Sítio do Pica-pau Amarelo: MONTEIRO LOBATO:



Declaração de amor

Os ramos da alga marinha flutuam
Separadamente à superfície das águas...
Eles têm, entretanto, uma só raiz
Ao luar
Como reconhecer a flor de cerejeira?
Deixando-nos guiar pelo seu perfume


Céu de outono e coração de mulher
Se assemelham;
Em uma noite um e outro
Mudam sete vezes.


Referencias:
BOA companhia: haicais. São Paulo: Companhia das letras, 2009. 189 p.
¹ http://lobato.globo.com/

3 comentários:

  1. Mui regrada essa coluna falando sobre a cultura de minha terra inspirando poemas na sua

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Linda postagem! Monteiro Lobato...
    Eu não fazia ideia da ligação do mestre com os haicais! Conforme fui lendo, pelas pistas fui desconfiando, mas não podia crer que era o autor da minha infância e adolescência, que nasceu tão perto da cidade onde cresci, ali no Vale do Paraíba, baú de tantos tesouros culturais. Deve haver grandes haicaístas lá... que abriu os braços a migração Nipo e em São José dos Campos ergue-se entre os bairros mais nobres um memorial aos 100 do início da imigração japonesa no Brasil.
    Com certeza vou procurar os haicais do Monteiro.

    Muito informativa e lúdica a postagem!

    ResponderExcluir