Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Coluna Invertebrada ou Coluna sem Vértebras

Por Marcantonio.

Ismael Néry

“(...) Não tenho sido na vida senão um grande ator sem vocação. Ator desconhecido, sem palco, sem cenário e sem palmas.” O autor destas palavras foi uma das mais originais personalidades e um dos grandes artistas do modernismo brasileiro. Ismael Néry era pintor, desenhista, ilustrador, cenógrafo, pensador e poeta não publicado em vida. É considerado o verdadeiro introdutor do surrealismo entre nós. Nascido no Pará em 1900, veio aos dezessete anos para o Rio de Janeiro, onde cursou a Escola de Belas Artes; dois anos depois estava na França, complementando seus estudos. Em 1922 casa-se com a poeta Adalgisa Néry. 

Trabalhando num cargo público como desenhista para se suatentar, conhece o poeta Murilo Mendes que será seu grande amigo e divulgador da sua obra. Seu estilo nesses anos sofre influência do expressionismo e do cubismo de Picasso. Mas, em 27, realiza nova viagem à Europa, faz amizade com Chagall e André Breton e retorna ao Brasil para realizar suas obras mais importantes, de cunho surrealista. Mas, tuberculoso, morre aos 33 anos. Apesar dos esforços de Murilo Mendes (responsável pela conservação de boa parte dos trabalhos do amigo), Néry permaneceu praticamente ignorado até a década de 60, quando a exposição de suas pinturas na 8ª Bienal de São Paulo reacendeu a curiosidade por sua obra, considerada desde então das mais importantes do modernismo.

Particularmente, é dos modernistas brasileiros aquele de que mais gosto, ao lado de Flávio Carvalho e Cícero Dias. É sem dúvida o mais universal, jamais se prendendo a qualquer tema de exotismo regionalista. Seu assunto é o homem, suas dúvidas, contradições e anseios metafísicos, sua ânsia de transcender os limites físicos e sociais.

Quanto ao poeta Ismael Néry, permaneceu inédito por anos. Após a morte dele, Murilo Mendes fez publicar alguns de seus poemas em revistas. E em 1946, Manuel Bandeira incluiu alguns deles na Antologia de Poetas Brasileiros Bissextos Contemporâneos.

Abaixo, dois poemas de Néry escritos já no final de sua vida:

CONFISSÃO

Não quero ser Deus por orgulho.
Eu tenho esta grande diferença de Satã.
Quero ser Deus por necessidade, por vocação.
Não me conformo nem com o espaço nem com o tempo,
Nem com o limite de coisa alguma.
Tenho fome e sede de tudo,
Implacável
Crescente.
Talvez seja esta a minha diferença de Deus
Que tem fome e sede de mim,
Implacável,
Crescente,
Eterna
— De mim que me desprezo e me acredito um nada.




EU


Eu sou a tangência de duas formas opostas e justapostas
Eu sou o que não existe entre o que existe.
Eu sou tudo sem ser coisa alguma.
Eu sou o amor entre os esposos,
Eu sou o marido e a mulher,
Eu sou a unidade infinita
Eu sou um deus com princípio
Eu sou poeta!


Eu tenho raiva de ter nascido eu,
Mas eu só gosto de mim e de quem gosta de mim.
O mundo sem mim acabaria inútil.
Eu sou o sucessor do poeta Jesus Cristo
Encarregado dos sentidos do universo.
Eu sou o poeta Ismael Nery
Que às vezes não gosta de si.


Eu sou o profeta anônimo.
Eu sou os olhos dos cegos.
Eu sou o ouvido dos surdos.
Eu sou a língua dos mudos.
Eu sou o profeta desconhecido, cego, surdo e mudo
Quase como todo o mundo.

Para finalizar, algumas imagens da obra do pintor:

Auto-retrato com Adalgisa, óleo, sem data

Casal, aquarela, sem data

Família, óleo, 1924

Mulher Sentada com Ramo de Flores, óleo, 1927

O Encontro, óleo, 1928

Visão Interna - Agonia, óleo, 1931

Morte de Ismael Néry, aquarela, 1932



Para ver mais obras de Ismael Néry:
http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=artistas_obras&cd_verbete=900&cd_idioma=28555

6 comentários:

  1. uma alma vasta
    e como tal inquieta
    deslumbrante e sombreada
    ...

    obrigado, camarada marcantonio.
    (o quadro "família" é um silêncio profundo
    cheio de vozes interiores)

    forte abraço.

    ResponderExcluir
  2. Mais conhecimento para minha memória sedenta de informações =]

    ResponderExcluir
  3. impressionante, as pinturas dele roubam a cena.

    a arte é mesmo uma dádiva!

    ResponderExcluir
  4. Uma pessoa com um talento imenso devemos admitir. Ismael Nery foi um daquels indivíduos notáveis. Suas pinturas são belíssimas.

    ResponderExcluir
  5. Pena a interrupção da coluna!
    Abraços!

    ResponderExcluir