Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

MEXENDO NA SUA RADIOLA

ELE VOLTOU...

,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, Por: D.EVERSON

Digo que na minha adolescência metade dos meus amigos eram músicos, e, misturado a eles ouvi muito louis Armstrong, Ella Fitzgerald, Charlie Parker, dentre outros.Saudade da velha Radiola três em um. Desde pirralho tenho uma relação especial com a música, principalmente com os instrumentos de percussão, daí minha participação no anonimato da Música Popular Brasileira tocando rock, pagode, forró, Frevo, Punk. Envolvido com a música, de alguma forma, desde de 1997 que tenho consumido discos dos maios variados ritmos e estilos: reggae, forró, heavy metal, brega, jazz etc. e tal. Minha poesia, também não poderia se desvincular dessa veia musical e várias vezes esteve enlaçada nas melodias de canções viscerais. Hoje me considero um minerador de bandas, tanto novas quanto antigas, um de meus hobbies é baixar um MP3zinho. Então, hoje ao abrir um dos jornais que leio pela manhã vi a notícia estampada: Primeiro disco solo do cantor Lirinha já está disponível na internet, grátis... putz!!! De mais! Um dos maiores poetas e performance da atualidade, lançando um disco depois de um ponto final de uma das maiores Bandas que o Brasil já teve o prazer de presenciar (Cordel do Fogo Encantado) nos palcos, na minha opinião depois da Nação Zumbi e Chico Scince a música popular brasileira não produziu nada de novo que tivesse uma identidade musical mesmo – batidas novas, letras com temáticas novas, nada de repetição, o Cordel foi a única banda que quebrou esse paradigma. Ninguém aguenta mais ouvir essas bostices que tocam no rádio, e nem me  venha dizer que falo isso por que sou de uma geração antes: o que é bom é indiscutível, e, se essa pirralhada fizesse música boa quem seria eu para contestar.


 Em fim, fiz tanto rodeio para dizer que para limpar os ouvidos de alguns de vocês que simpatizarem com meu gosto musical, um tanto excêntrico para os dias atuais, trarei por aqui sempre que despontarem, no meu PC, os discos dos artistas teimosos que continuam, tentando ao meu ver, fazer música boa fora e dentro dessa tribo Gigante chamada terra. Como já dissera antes, hoje vamos ouvir juntos o disco do faixa preta musical Lira Paes: o Lirinha com seu disco LIRA. Clic na imagem a baixo e baixe o disco, divirta-se. Só mais uma coisa: vamos discutir o disco nos comentários dessa postagem. Abraço e até o próximo disco.  

.  

 

2 comentários:

  1. Confesso que esperava mais do disco, não sei se ainda são resquícios do Cordel no meu ouvido, mas sinto que a banda está muito curta (3 músicos+vocal lirinha). Espero que no show a performance dele salve.

    ResponderExcluir
  2. É depois de ''Cordel do Fogo Encantado'', ''Mercadorias e Futuro'', não tive a oportunidade de ver o Mercadorias e Futuro mas tenho o livro que por sinal gostei da escrita, e o contexto,mas este disco do Lirinha esta em outro contexto, está muito normal para o Lirinha, talvez a performance como diz o Daniel vá diferenciar, mas esperava algo mais regional também ou no mínimo com as parafernálias que ele cria, e também sua poética dentro do ''matuto universal''...

    ResponderExcluir