Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Historinha Romântica

Quando fui te conhecer
vesti meu melhor sorriso,
aquele que só usava em dias de festa,
me perfumei com as melhores palavras importadas
“I love you, mi cariño, ma chérie”
Baudelaire, Neruda, Shakespeare.
Calcei um par novinho de coragem
feito do mais puro e belo
papo de jacaré-do-papo-amarelo.
Levei um buquê de beijos,
uma caixa de abraços,
uma poesia minha também
que dizia:
“Tudo isso e muito além!”
E uma garrafa, há muito guardada,
de um amor espumante
para selar nossa união

Mas você desdenhou meus presentes.
Me destratou sem motivo algum
e saiu com um saradão,
desses de academia,
que só fez te chifrar o tempo inteiro

Pois é, meu bem, o tempo passou...
O meu sorriso permaneceu intacto,
ainda o uso sempre que posso,
aquelas palavras nunca perderão
seu aroma de carvalho
e os meus calçados corajosos,
quando lustrados ficam novos.
Mas aqueles presentes que eu ia
te dar, naquele dia,
ou murcharam ou estragaram.
Aquela poesia se extraviou
Em alguma gaveta qualquer da memória
e aquela garrafa, que ficou
por tanto tempo empoeirada
no subsolo de minha adega,
já abri
e me embriaguei com outra pessoa.

  1. diretamente da periferiadomundo

4 comentários:

  1. É. A fila anda! rsrsrs
    Ótimo texto, Lucas!
    Bom fim de semana!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Deliciei-me com o seu poema: lindo e divertido. Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Nada melhor que um novo amor para esquecer um antigo amor, mesmo que esse amor recente seja sentido pelo mesmo velho amor!

    Muito maneiro!

    ResponderExcluir