Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

...


CICLO DA SOLIDÃO

Dê ramo
A solidão definitiva
...............................................................................................................................

O mais há de vir por enxerto à solidão
Audálio Alves

Assim não te inicio
Nem me acabas
Audálio Alves


Aviso:
Esta solidão não é
Somente minha. Nasceu em
Mim, mas também tu
A possues. Solidão, bem sabes, não se
Repartem nem se dividem. Solidões não se somam
Apenas ficam lado a lado.
Gerada em mim, em ti
Dentro de todos nós gerada
O desamparo de nós todos, une.

(Maria do Carmo Barreto Campello de Melo / Obras poéticas – Música do silêncio II)


9 comentários:

  1. "Solidão, bem sabes, não se
    Repartem nem se dividem. Solidões não se somam
    Apenas ficam lado a lado."

    Sei bem que sabe tratar desse tema:



    CINCO DIAS INÚTEIS

    Eu começo a minha rotina
    sabendo qual será a sina.
    Eu não tenho alternativa:
    se não me submeter, morro;
    nem sequer tenho perspectiva
    para pedir algum socorro.
    — Triste começo de semana
    para quem diz que não se engana.

    Nessa terça-feira maldita
    vou fazer tudo que me irrita.
    Não perceberei o que fiz
    farei tudo de forma tácita;
    a vida fica por um triz
    mas não percebo, sou uma máquina.
    — Em escala industrial,
    a solidão se fez normal.

    Minha semana chega ao meio
    e sou coberto por receios.
    Talvez seja essa fadiga
    (que escondo por fingir ser forte),
    pois o meu corpo já mendiga
    qualquer ajuda ou suporte.
    — E sempre se repete tudo
    enquanto o mundo fica mudo.

    Juro que nessa quinta-feira
    Viverei de outra maneira.
    Será bem menos enfadonho,
    mas será que tenho coragem
    para perseguir o meu sonho
    e romper essa engrenagem?
    — Mas não basta apenas pensar,
    difícil é concretizar.

    Essa semana chega ao fim,
    mas não é tão simples assim.
    Esse ciclo de solidão
    não pára de se repetir,
    nem preciso de previsão
    para ver que não vou sorrir.
    — A vida não produziu nada,
    mas está bastante cansada.

    Fred Caju / Monopólio da solidão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabou de determinar o post desse sábado, meu chapa.

      Excluir
    2. QUANDO EU ACABAR DE LER TÁ NA MÃO, AÍ VC ROLA AQUELE DO RICARDO CHACAL

      Excluir
    3. ESSE POEMA TEU TÁ A CARA DOS MEUS DIAS NA TERRA NESSE 2012 NADA LEGAL ATÉ AQUI P MIM

      Excluir
  2. Em tempo, estou na fila de espera do livro de Carminha!

    ResponderExcluir
  3. A poesia de Maria do Carmo tem essência.
    Um abração.

    ResponderExcluir
  4. Rapaz, massa a confrontação dos dois.

    ResponderExcluir
  5. Um verdadeiro confrontos e confluências!

    :*

    ResponderExcluir