Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Expoentes da “Geração 65”: DOMINGOS ALEXANDRE


CAÇA

A vida irrompe como um pesadelo
No vórtice de luz do amanhecer.
Deus caminha no pasto, sob estrelas
Que morrem, tudo pode acontecer.


Os bichos gemem fundo na floresta
E o caçador os busca sem piedade.
Abundância de caça para a festa,
Guirlandas sobre os muros da cidade.


Depois cai o silêncio sobre a terra
Iluminada, e escorre todo sangue
Que riachos e rios levarão


Para o trono de Deus atrás da serra,
Esse Deus leniente e quase exangue,
Que, há muito, endureceu o coração.


Domingos Alexandre
    

3 comentários:

  1. Muito bom o tema e a forma como expões ele!

    ResponderExcluir
  2. Bom o desfecho do poema! É bastante fácil realmente deixar de crer em um Deus que, aos nossos olhos, parece ser tão permissivo para com as mazelas de nosso mundo! Pensando por esse prisma, há eras seu coração endureceu...

    Valeu o poema, Caju!

    ResponderExcluir