Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Cartas

Deste as cartas
Nesse jogo de azar!
Tentei ser forte
No meu medo de amar

O amor, o fim,
O meio, a morte.
O enleio...
Enfim
Não tive sorte!

Não credes em mim.
Puseste na mesa
A habitual crudeleza,
Descartaste-me assim!

És a dama
Num drama do qual
A bem do que é mau
O valete se vinga.

Foi um ato falho
Reparta o baralho
E eu serei seu coringa.

(Uma homenagem póstuma à Heath Ledger, um coringa melhor que Jack Nicholson)

8 comentários:

  1. No jogo da vida

    Olho minhas cartas
    Sem ases nem figuras
    Só lágrimas fartas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jogo empatado!

      As lágrimas são
      bálsamos que confortam
      nosso coração!

      Obrigado pelo haicai, enciclopédico amigo!

      Excluir
  2. Poema originalmente postado no blog http://esquifedememorias.blogspot.com

    Quanto à opinião sobre a melhor atuação de H.Ledger, parte somente de mim. Certamente não falo por todos os colaboradores do PDM, que tem, assim como os que leem essa postagem, o dever de discordar do meu ponto de vista.

    Muita paz!

    ResponderExcluir
  3. Ei, poeta Cristiano, está a esmerilhar a palavra.
    Um abraço. Tenhas um bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, caro amigo Dilmar! Humildemente digo a você que ler esse teu comentário é muito gratificante!

      Muita paz!

      Excluir
  4. Olho o baralho
    Três damas dois valetes
    Quase gargalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jair, o que há?
      Suas cartas me lembram
      ménage a trois

      Excluir
  5. Heath Ledger foi o melhor coringa de todos os tempos. Mesmo de qualquer adaptação futura do Batman, ninguém vai superar o que o cara conseguiu. (Não, não tenho bola de cristal... só estou exagerando um pouco... mas acho isso mesmo :D)

    ResponderExcluir