Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 30 de março de 2012

O AMOR


O amor é. O que dizes, o que digo.
És comigo. Sou contigo. Sem o plural
em um só dizer. Em um só falar.
Em um só pensar. Em um só tempo igual.

Nada celebro sobre aquilo ou isto.
Nada insisto. Nada julgo o modo de ser.
Nada modelo. O misto ou o uniformemente
sou presente. Como o estímulo que se vê.

Em nenhum instante transcorre a estranheza
que instala os caminhos contra a harmonia,
escapando assim de toda qualquer incerteza.

Não sendo mesmo a imaginação prática fria
com os seus artifícios que causam a tristeza
procurando transformar tudo, todos noite, dia.


Poeta Haroldo
(no acaso das ruas do Recife com seus panfletos)
 

6 comentários:

  1. Muito bom!Interessante achado,cajuíno amigo!

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, você poetas não se cansam de encontrar novos veios para explorar esse sentimento tão universal quanto inspirador. Parabéns para Haroldo e Fred, a cada um pelos seus méritos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Fred. Mais fácil definir o que não é amor, creio. Gostei do seu comentário no Memórias. Obrigada.

    ResponderExcluir
  4. o amor só intendercoprenderei quando envelhecer apaixonado pela mesma mulher

    ResponderExcluir
  5. Aos Poetas Fred e Harold parabéns pela sensibilidade em destacar e pela criação.
    Bjs de violetas

    ResponderExcluir