Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Éden

Não neguemos ao lírio
nem o sol nem o orvalho,
esperemos brotar a manhã
em seu fino prisma
dissipando as cores do arco-íris
entre suas pétalas.

Não neguemos à raiz
poder destroçar a casca da semente
e atirá-la longe, muito longe
de nossa vista,
para que aí fiquemos a sós:
eu, você e a planta.

Não neguemos ao jasmin-noturno
a moça a enebriar seus cabelos
e beijá-los com seus narizes,
colorindo as manhãs
e os crepúsculos.

Não neguemos ao coqueiro
seu ato religioso de dobrar-se
em reverência a sua majestade,
o vento.

Não neguemos às maçãs
seu direito de cair sobre nossas cabeças
e atentar-nos para a gravidade
de levar-nos tão a sério.

Não neguemos às mangas verdes ou rosas
seu dever de serem doces,
saborosas e suculentas ao abrir-se
para a língua erótica
a lambuzar-se.

Deixemos que as árvores cresçam,
elevem-se aos céus
e busquem a sabedoria de sua luz,
que estourem o cimento das calçadas,
destruam muros e cercas.

Deixemos que se apoderem
de tudo o que é primordialmente seu:
as casas, as estradas, os jardins,
nossos carros e corpos,
que cubram os nossos olhos,
cabelos e sexos.

Deixemos que a erva cresça
em nossas cabeças
e que consuma
todos nossos sentidos
e que, em sua música,
nos traga o som da chuva
e o bater das asas da mariposa.

Deixemos que a erva cresça:
não neguemos a ela seu direito de existir.

Inácio Carranca



Blog do Carranca: CARRANCUDO, apesar de TUDO.


7 comentários:

  1. Deixemos a erva crescer... e não neguemos ao poeta o direito de sonhar!

    ResponderExcluir
  2. É eco maconha
    Façam seus baseados
    Fumem sem vergonha.

    ResponderExcluir
  3. DIAMBA

    Negro velho fuma diamba
    pra amassar a memória.

    O que é bom fica lá longe…

    Os olhos vão se embora pra longe.
    O ouvido de repente parou.

    Com mais uma pitada
    o chão perdeu o fundo.
    Negro se sumiu.
    Ficou só uma fumacinha.

    - Ai leva-me-leva.
    E a fumaça tossiu:

    Apareceu então uma tropa de elefantes enormes trotando
    ciquenta elefantes
    puxando uma lagoa.

    - P’ronde é que vocês tão levando essa lagoa?
    Tá derramando água no caminho.

    A água do caminho juntou
    correu correu.
    Fez o rio Congo.

    - Ai leva-me-leva.

    Aquele navio veio buscar o rio Congo.
    Então as florestas se reuniram
    e emprestaram a sombra pro rio Congo dormir.

    Raul Bopp

    :)

    ResponderExcluir
  4. Limerique

    Era um carinha de vida bisonha
    Convenceram-no a fumar maconha
    Mas que bela vida!
    Toda colorida!
    Ando nu e não sinto vergonha.

    ResponderExcluir
  5. é... a erva nada tem a ver com a educação que o homem recebe... bjuuu

    ResponderExcluir