Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Jéssica do Vale no Castanha Mecânica


Em Poesia e Outras Drogas, Jéssica do Vale é entrega e oferta. São amores, sons, gestos, flores, amigos, ais do coração. Tudo simples, tudo complexo. Tudo feminino. A blogueira do Antena Desarrumada canta sobre si, sobre a própria poesia, sobre a cidade maurícia pernambucana, não só com poemas, mas também com fotografias. E tudo flutua e/ou navega sem deixar de tirar os pés do chão.

CONFIRA O E-BOOK LÁ NO CASTANHA MECÂNICA.


RODA GIGANTE; RODADA EU?

Rodada é a bola
Rodada é a saia
Da menina que chora
Rodado é o girassol
Roda gigante sou eu.

Rodando a gente se embola
Pelo rosto a lágrima rola
Girando a chave, eu tranco a porta
Chegada à noite, o mundo roda

Lentamente, vou embora
Bruscamente, você bate a porta
E eu penso:
Rodada eu?!

Jéssica do Vale
 

5 comentários:

  1. A castanha continua bombando, no Natal vamos lançar Haicais das estrelas =]]]]]]

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Ainda que sua verve não se cale
    Quando versos vibrantes estale
    Manda seu recado
    com poema rimado
    Uma poeta que pensa quanto vale.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a dica... Adorei a Jéssica.
    Beijo.

    ResponderExcluir