Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O ÚNICO HOMEM QUE A MORTE NÃO ENTERRA

(ao poeta Célio Lima)
Muita coisa ainda será dita,
Por que um poeta não se cala com a morte,
Por que um poeta não se mata com traças devorando livros.
Um poeta meu caro leitor
É apenas passivo da memória coletiva da massa;
Enquanto houver alguém que lembre seu nome
Suas palavras se enraizarão na história.

D.Everson

7 comentários:

  1. Belíssima visão.
    Bom feriado.
    Bjins entre sonhos e delírios

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Limerique

    Na vida o poeta constrói um mural
    Mas um dia sua vida chega ao final
    De seu corpo nada sobra
    Mas permanece sua obra
    Porque produto de poeta é imortal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. esse poeta é um danado, é só dá um tema que ele souta a verborragia =]

      Excluir
  4. Limerique

    O poeta é sempre contra a guerra
    Mesmo quando sua vida se encerra
    Se está enterrado
    Não está acabado
    Pois do fundo do túmulo ele berra.

    ResponderExcluir
  5. DE POETA P/ POETA AGRACIADO + UMA X POR VERSOS LEMBRADOS... E CONTINUAMOS NO RINGUE DA VIDA... APANHANDO, CAINDO, LEVANTANDO E BATENDO... OUTRAS REMANDO OS VERSOS CONTRA A CORRENTE... AS VEZES CONSTATANDO QUE A VIDA SE É APENAS EXPERIENCIA EM SÍ... OUTRAS TENTANDO FAZER DA NOSSA VIDA, APENAS 1 HONESTO E SINCERO BOM POEMA !!!

    ResponderExcluir