Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 20 de outubro de 2012

HAIGAS

Haicais de Domingo

     Uma das menores e maiores poesias já existentes, oriunda do oriente, o Haicai tem no seu cerne um Haijin que compõe as dezessete sílabas distribuídas em três versos. Contudo, é bom ressaltar que, ainda que não obrigatória, sua beleza é enfatizada pela feitura do haiga que o acompanha.
     Haigas são ilustrações próximas ao poema que,para alguns, auxiliam na transmissão da mensagem que se objetiva ser passada. Muitos haijins acabam não o fazendo talvez por falta de intimidade com o desenho ou porque preferem a fotografia que, não como negar, quando bem feita, também é pura poesia.
Manabu Mabe
     Matsuo Bashô que, ao lado do controverso Kobayashi Issa, é um dos mais reverenciados haijins, teve parte de sua obra ilustrado por Manabu mabe, apesar da distância secular entre os dois, em uma das mais belas antologias.
    Não posso me furtar em citar Millor Fernandes, que infelizmente há pouco nos deixou, que mesmo com desenhos não tão bem elaborados, fez bonito em suas obras.





















Nos camarotes
Há equações
Pros decotes.



Olho, alarmado,
E se a vida for
Do outro lado?


     Sou um haijin que tripula a nave internacionalmente desconhecida que viaja pela blogosfera junto a muitos outros talentosos escritores tais como Jair Lopes, Bento Sales, Arnoldo Pimentel, Regina Ragazzi e outros tantos que pedirei a gentileza de me perdoar por não ter a possibilidade de citá-los todos.Oscar Wild disse certa feita que o trabalho é o refúgio para os que não têm nada o que fazer. Eu gostaria de concordar, mas dependo de tal exercício para viver sobretudo nesse mundo canibal e capitalista. Produzo haicais com imenso prazer porém não disponho muitas vezes de tempo para ilustrá-los. Nesse domingo posto aqui alguns que consegui fazê-los.

Na cama...



De camisola,
entrou no quarto. Pensei:
será que rola?







Patuá




Ouça um conselho!
Amuleto dá sorte?
Diga ao coelho!

 







Envenenamento

Hoje,velinho,
sei que já me traiu!
Gostou do vinho?


Muita paz todos!

Cristiano Marcell é professor nas horas vagas e escreve nos blogs:
http://esquifedememorias.blogspot.com e http://haicaienaomachuca.blogspot.com

9 comentários:

  1. Que maravilha Cristiano!! Vc é um mestre nessa arte maravilhosa!! Eu amo!!Obrigada por incluir meu nome entre esses talentosos poetas. Mas sou ainda uma aprendiz... Abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Mandou bem meu camarada, tem discos novinhos essa semana p vc baixar por aqui hehehehe

    ResponderExcluir
  3. Bela coluna, Cristiano!
    Palavrimagem, como bem escreveu Leminski na sua biografia de Bashô...
    Me deixou curioso para conhecer as ilustrações do Mabe!
    Só não concordo com tua opinião sobre o traço do Millôr: assim como a cerâmica tradicional japonesa, o "não elaborado" algumas vezes expressa uma particular sofisticação...
    Parabéns pelos haigas, tomara que não te falte tempo para exercitar mais e mais esse mix...
    Abraços, bons caminhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já há algum tempo, quando penso que fui mal interpretado, entendo que na realidade eu não elaborei bem as palavras no contexto em que eu desejava. Talvez seja esse o caso nesse ponto em que tu não concordas comigo. o "não elaborado" ao qual me referi, é porque o próprio Millor assim os classificava, dizendo que não se achava um desenhista exímio. Segundo ele, fazia suas ilustrações sem preocupações diversas.
      Comungo de sua opinião, quanto à particularidade de sofisticação. Seria indigesto, tanto quanto dizer que o Abaporu, não tem sentido e é uma figura sem nexo e mal feita!
      Nada mais "esquisito" do que o Guernica, se não entendermos outras coisas ali implícitas!

      Muita paz, nobre amigo!!!!

      Excluir
  4. gostei disso rsrs apesar que ilustrar não seria comigo porque sou péssima em traços... parabéns poeta você está cada vez mais solto na poesia japonesa, to gostando. bjuu

    ResponderExcluir