Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quinta-feira, 11 de outubro de 2012



CONTO MINIMALISTA



CHORO ETÍLICO

Aquele homem passou grande parte da sua vida se dedicando à embriaguez. Como uma mosca de balcão, pousava de bar em bar, implorando a quem o atendia pelo chorinho do dosador de bebidas e felicitando-se ao ver o líquido depositar-se no copo. Depois de muitos anos, e somente quando largou a bebedeira, é que se deu conta de nunca haver deixado cair uma única gota de bebida ou de lágrima, pois nas inúmeras vezes em que bebeu teve de engolir o choro.



Ricardo F Banholzer

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Limerique

    Vida bebendo, perfeita, portanto
    Sem perceber como bebeu tanto
    Quando veio a cirrose
    Nem mais uma dose
    Daí entendeu, esquecera a do santo.

    ResponderExcluir