Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

SÉRIE POETAS BEZERRENSES

Só Assim Você Sobreviverá


Uma faca, uma fé... o braço sempre forte

Solidão, sem você saem rabiscos despercebidos
O pensamento voa longe
Já faz tempo, muito tempo
Ao invés de lágrimas, amargura
Doia o peito, existia um vazio
Nossas escolhas, os teus caminhos
Ao meu redor, gemidos vindos do além
Quanta gente desesperada
Vidas sofridas, destruidas
Finas agulhas penetrando nossa carne
Já faz tempo, há muito tempo
Ouvia histórias, ouvia gritos
Se eram sonhos, eu já não acredito
Não tenho fé nem muita força
As lâminas de mental complementam o meu braço
As loucuras dessa vida complementam minha vida
Faz com que minha existencia tenha sentido
Hoje é só mais uma madrugada, onde minha alma procura abrigo
Nessa estrada, nossa caminhada segue em busca de um sentido
E se não tiver futuro?
Olho pro passado e lá não quero mais viver
Eram tempos duvidosos
Eu se quer tinha você
Minha estrada, meu caminho
Eu apenas caminhava e em pensamentos você me seguia
Eu sempre te levava
Eram sentimentos que ninguém mais sentia
Eu estava longe, eu estava perto
Mais ninguém entendia
Se eram sonhos, eu já não acredito
Realidades tão banais
Celebridades presas numa tela virtual
Eu já não me sinto bem, não me sinto mal
Saudades dos bons tempos
Até tinha um pequeno temporal
Uma fogueira, fogo de fogueira
E uma tribo inteira festejando mais uma nova estação
No presente, uma tempestade
Não é dor, tão pouco amor
Pensamentos que se perdem no meio da cidade
Sentimentos que nos prendem quando nos querem juntos, quando nos querem distantes
Não se faz necessário tentar entender
Basta tentar, tentar querer
Ler um livro, um poema ou alguns versos
Viver em um universo onde só exista você
Basta querer, querer tentar
Viver assim, só assim você sobreviverá.

J. Marcelo Barbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário