Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Caligrafia

A minha caligrafia íntima
nunca escreveu versos
metafísicos.
Seguramente, filósofos
com vocação de estetas
e que sempre seguram candeias
e vestem mantos verdes
dirão detectar pequenas
partículas esotéricas
na caligrafia que vos apresento.
E assim sendo, está provado
quanticamente.
A minha letra mais íntima
não a escrevo; desenho-a
no ar; espero que caia
mansamente e se desvaneça
sem metafísica.

5 comentários:

  1. É deixar 'cair' o poema na folha, sem ansiedade, e depois, damos uma ajeitadinha...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado D. Everson por me dar a honra de figurar no Poetas de Marte.

    ResponderExcluir