Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Limerique



Os cidadãos extremamente bravos
Pois do poder são vítimas-escravos
Saturados de lambanças
Querem, exigem mudanças
Você acha que é por vinte centavos?

7 comentários:

  1. é a gota d'água. A reivindicação é simbólica, pois no fundo, a juventude está a exigir comprometimento das autoridades com as mazelas do país.
    Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Jair, voltei para corrigir o ponto falho: leia, comprometimento das autoridades para o conserto das mazelas...

    ResponderExcluir
  3. Interesante lo que has puesto, un saludo.

    ResponderExcluir
  4. Com a mídia manobrando o tempo inteiro fica difícil se sentir confiante. Fico pensando em Carlos que sabia das coisas:


    HIPÓTESE

    E se Deus é canhoto
    e criou com a mão esquerda?
    Isso explica, talvez, as coisas deste mundo.


    (Drummond)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caju,
      Em 1789 foi na França, depois na Rússia em 1917. Por que aqui não pode começar assim? Não aposto todas as minhas fichas nesse movimento, mas acho que há esperança. Quanto à "mídia manobrando" fico na dúvida, parece que essas redes globais por aí foram pegas de surpresa e atrelaram-se ao cortejo, não o comandaram. Tenho certeza que o movimento foi expontâneo e quem duvidar que os reclamos são reais e estavam presos na garganta do povão ou está tergiversando ou está de má vontade. Nesta quadra da história parece que não temos outra opção senão berrar. O bom cabrito BERRA, berra prá caralho! E antes que você me julgue, votei na Dilma, e acho que ela não é culpada pelo esse estado de coisas atual nesta sofrida nação.
      Abraços, JAIR

      Excluir
    2. Como você citou, a Revolução Francesa foi por conta do preço do pão, qualquer centavo pode ser a gota d'água. Pra mim não há dúvida do direcionamento que a mídia anda dando: de cinco em cinco minutos se grifa a palavra vandalismo e a palavra pacifismo. Ela não criou o movimento, mas está sabendo usá-lo. Num país sem educação a tevê acaba sendo o grande canal para formação de opinião. Depois que a imprensa começou a enfocar que a não-violência é o caminho, acabou ditando o rumo dos protestos. Quem está na rua é uma direita despolitizada e cheia de pautas genéricas, tal como um horário eleitoral. E diga-se de passagem que nunca teve coragem de fazer nada, e agora depois de ter usado os primeiros manifestantes como bucha-de-canhão para apanhar da polícia, levanta a bandeira de paz. Contra a corrupção até eleitor de Sarney é contra. Há dias atrás protesto era coisa de quem não tem o que fazer e só serve para atrapalhar a vida de quem tem, são palavras da grande imprensa que temos. Agora tudo são flores desde que não haja violência? Você sabe mais do que eu como são os desfechos dos filmes onde uma mídia elitista apoiou revindicações populares. Na minha breve vida, nunca vi essa quantidade de gente na rua, é verdade, mas também nunca vi tantos conservadores patriotas e mesquinhos aglomerados. Os movimentos sociais estão na rua também, lado a lado, mas esses não despertaram ou acordaram, pois sempre estiveram de vigília e na luta.

      Excluir
  5. Gracias, amigo, y un abrazo grande desde Madrid.

    ResponderExcluir