Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 22 de junho de 2013

Conversas Vadias de Sábado

Nascido nos Bairros populares de Lisboa e na área portuaria, o Fado ganhou progressivamente eco nos mais variados sectores da sociedade lisboeta, e por extensão do País.
Nascido em ambientes soturnos de tabernas nas zonas mais degradadas e violentas de Lisboa - Mouraria, Alfama, Bairro Alto, Castelo, Madragoa, poiso de marinheiros, prostitutas, fidalgos, estrangeiros, o Fado acabou por impôr-se e ganhar foros de cidadania.
Ainda hoje a sua origem causa polémicas e desencontratdas teorias, quer no campo musical, quer no campo sociológico.
Da sua origem marcadamente regional - Lisboa e regiões limítrofes, o Fado ganhou universalidade com Amalia Rodrigues. De origens humildes, a sua voz esplendorosa, o sentimento colocado na interpretação levaram-na ao coração das pessoas e aos mais afamados palcos da cena mundial.
Cantou muitos poetas - Camões, Pedro Homem de Mello, David Mourão-Ferreira, Alexandre O'Neill, entre outros.
Deixo um fado, Gaivota, poema de Alexandre O'Neill e música de Alain Oulman.


4 comentários:

  1. Independente de sua verdadeira origem, polêmicas à parte, é um gênero musical que gosto muito. Às vezes não consigo entender a pronúncia do português de Portugal, ainda assim, aprecio bastante a sua linha melódica, sinto uma profunda nostalgia...!

    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      Na verdade uma plausível linha de origem de fado são canções de marinheiros. Aliás o fado mais antigo que se conhece é o "Fado Marinheiro" de 1848 se não estou em erro. Depois já no século XX a indústria discográfica acabou por moldar a estrutura di fado, reduzindo o tamanho da letra para o tornar compatível para gravar.
      A estrutura melódica do fado é relativamente simples e os diveros tipos de fado existentes derivam basicamente do Fado Menor, Fado Corrido e o Fado Mouraria que são os estilos de fado primitivo.
      Bom fim de semana.
      Abraço.

      Excluir
  2. aprendo, aprendo, aprendo! A história do Fado me lembrou a do jazz, por quê não?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, digo que uma vez o saxofonista Don Byas esteve em Lisboa e acabou por tocar com a Amália e gravaram até um disco que saiu primoroso. Lembro-me que a Amália disse - "Meu Deus, como ele (Don Byas) cantava o fado obviamente no seu saxofone.
      No fundo o jazz e o fado são ambos música com carácter étnico. Quer o fado, quer o jazz têm influência africana, por exemplo, tocavam-se primitivamente nos locais mais pobres, quer em Lisboa, quer em New Orleans. No fundo tẽm muitos pontos de contacto. Um musicólogo americano vendo e ouvindo o grande guitarrista Armandinho dizia que a forma dele tocar tinha muito a ver com o improviso do jazz.
      Enfim, Caro D.Everson são alguns pontos de contacto que sem dúvida jazz e fado possuem.
      Abraço e boa semana.

      Excluir