Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

POEMA SACADA: UM PÉ NO DOMÍNIO PÚBLICO


Cuidado. São poucos os eurekas que realmente são exclusivos neste largo mundo. Malabares com palavras não é, em absoluto, sinal de voz própria. São raríssimos os que conseguem deixar sua marca em poemas sacadas.

Costumo dizer que todo mundo tem uma ótima estória para contar, não apenas os prosadores. Claro, o capricho é maior e melhor na mão de quem trabalha com narrativas. Os poetas de insight também não escapam dessa condição.

Ou você acha que realmente apenas você vê uma ema dentro do poema? Abre parênteses. Não sei quem já escreveu sobre isso e nem vou pesquisar — já me basta saber que não fui o único. Fecha parênteses.

O poema sacada é um gênero que adoro de coração. E com a mesma intensidade odeio os praticantes que vivem fazendo biquinho quando olham algum floreio semelhante ao seu. Você não inventou a pólvora, meu bem.

Outra coisa mas ainda a mesma coisa: não acredito que a sacada apenas se baste por si própria. Acho que esse tipo de poema não precisa aparecer necessariamente num jogo de palavras e sintaxes. É algo maior. Se quiser um exemplo me diga você mesmo de quem você se lembra quando te falam em gauche?


Fred Caju
   

Um comentário:

  1. Limerique

    Entao nao me fale em estandarte
    Aqui entre esses Poetas de Marte
    Arte 'e tudo que existe
    No que o artista insiste
    Da Muralha da China a clip art.

    ResponderExcluir