Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

FRAGILIDADE E PÁSSAROS


Falo para as paredes é mais fácil ser ouvido.
A tarde escorre pelos meus dedos e penso na praia,
E penso nas horas que perco vendendo meu sangue.
É tudo tão frágil aqui dentro e um desafio lá fora.
Vejo os pássaros que não se deixam intimidar
E voam longe, bem longe dos meus sonhos
E dessa tarde quente de janeiro.

D.Everson

4 comentários:

  1. Eu sei o que é isso...
    Força Camarada!
    Belíssimo poema :*

    P.S: Precisamos marcar uma praia com urgência, mas sem cachorros - quentes dessa vez, hahahaha. <3

    ResponderExcluir
  2. ANDANDO
    Esta tarde escorre por meus dedos
    Enquanto calado falo para paredes
    Explicando-lhe porque calo medos
    E porque meu pensamento tem sede

    Tão frágil aqui mas lá fora desafio
    Os pássaros voam contra o vento
    A multidão na rua corre como rio
    E para mim guardo o pensamento

    Derreto-me nesta tarde de janeiro
    Esperançoso que passe o longo dia
    Navegando como trágico barqueiro

    Vendo a vida como muito não via
    Caminhando triste neste sendeiro
    Compondo dessas agruras poesia.

    ResponderExcluir