Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 14 de março de 2014

Equus africanus asinus


Não me esforço
A vida é esse rolo compressor
Que nos transforma em pasto
Para os que estão no falso topo
Da pirâmide invisível da servidão

Dedos mínimos bolinando vidas
Humilhando a classe operária
Os rostos molhados de suor
Que cantou Maiakovski

Eu sou um deles você também
E não importa se acedem ou apagam a luz
Nosso drama é sempre TRABALHAR!
PRODUZIR!
SOMAR!

Não somos pessoas
Somos primatas!
Homos burros!

D.Everson

3 comentários:

  1. Homo estultus

    A vida é igual ao que fazemos dela
    E se ela nos oprime e desconforta
    É porque pusemos bunda na janela
    A vida que temos entrou pela porta.

    Criamos nós a tal pirâmide social
    Na qual todos ocupamos um lugar
    Que é a chamada civilização, afinal
    Onde cada um tem direito de berrar.

    Mas esse rolo compressor é a liça
    Que põe Homo estultus no caminho,
    Eivado este de trampas e injustiça,

    A cada esquina a cada escaninho.
    Onde não poderá haver preguiça
    Onde se luta quase sempre sozinho.


    ResponderExcluir
  2. Prezado Lico,
    Gostei dos seus poemas e dos textos em (os 2 últimos de cada espécie), vejo que és um poeta sensível e maduro. Parabéns.
    Quando tiver um tempinho veja também meus blogs:
    http://cirandinhapiaui.blogspot.com
    e
    franciscomigueldemoura.blogspot.com

    ResponderExcluir