Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Vento


Uma vez mais perguntei ao vento
Por que tu és um etéreo elemento
Sem cor, sem cheiro e sem feição,
No entanto pratica tanta confusão?

E ele disse: é justamente por isso:
Nada sou, não tenho compromisso
Eu faço então o que bem entender
Sem que repressão tenha que temer.

Pois vento não deseja ser popular
E venta livre a seu próprio gosto
Sem nem um pouco se incomodar
De ser reconhecido por seu rosto.

Vento é sempre entidade matreira
Que venta ventania a sua maneira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário