Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 7 de junho de 2014

Drama

O drama de não sonhar nesse outono

É o drama de quem não teve a sorte

De gozar o dormir tal e qual na morte

E que acorda cedo para morrer de sono


4 comentários:

  1. Dormir

    Aqueles como eu que dormem pouco
    Os quais não têm uma rotina de sonho
    Eventualmente podem até ficar loucos
    Por causa desse não dormir medonho.

    Não importa se verão, inverno, outono
    Aquele descansar que parece a morte
    Não me acode essa qualidade de sono
    Contrário à minha dorminhoca consorte.

    Enquanto ela dorme eu conto ovelhas
    Pois sono é uma animal muito esquivo
    Os mosquitos cantam na minha orelha
    Apenas de sonecas esparsas eu vivo.

    E um dia qualquer se me der na telha
    Vou conseguir aquele sono retroativo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Jair, se tivesse como compensar este sono, dormiria o resto da vida rsrs
      Belo poema!

      Excluir