Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

.


ESTÔMAGO


Eu não poso de feliz
Sou completamente inumano.
Sinto dor, frio e calor.
Meu colar de buda
Está quase sem pérolas.
A vaca profana
Já enroscou todo o rabo
E a serpente do Éden me chama.

D. Everson

4 comentários:

  1. JCLopando...

    Estômago doendo é chato,
    Não dá nem para olhar um prato.
    O mundo é roído
    Enorme ruído
    E Omeprazol não é barato.

    ResponderExcluir
  2. Quando encontro a poesia do meu tempo, do agora, do que sinto, do que sofri, do que sofro...estômago, é o que sinto, não a dor, mas mais profundo que isso, um portal para a batalha da segunda-feira....minha felicidade profissional e pessoal te faz reflexo e te incomoda, então sou atacado...onde está nossa humanidade ? como tê-la se nem humanos podemos ser...quero beber o leite da vaca profana, quero estar imune ao veneno da serpente do Éden, pois, suicída que sou, não resistirei a oferecer meu corpo para ser picado.
    ps. Carinho respeito e abraço.
    ps2. Caro Everson, conheço este blog através do meu xará,poeta e amigo Jair Lopes...amo poesia, e acredito que ela salavráo mundo,pelomenos salva o meu, como hoje, inicío uma segunda de trabalho horrível, provocado por um colega, não sei se intencional ou não, não sei se passei do ponto ou não, houve um atrito de estômago, com teu poema - é uma interpretação completamente livre e minha sobre um escrito (diga-se ótimo) teu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia camarada Jair Machado e bem vindo ao nosso blog =]]]

      Excluir