Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

MEDO

Meus medos
são grilhões

são milhões
de segredos

que nunca
disse a ninguém

parte inóspita
sem luz
do calendário
que o fracasso
diário
me conduz

5 comentários:

  1. Que poema melancolicamente belo Marcell!
    Bom tê-lo de volta conosco.
    Um abraço :*

    ResponderExcluir
  2. Meu medo me consome
    e sequer tem nome!

    ResponderExcluir
  3. o moral está de volta, pelo poema camarada

    ResponderExcluir
  4. Segredos assim, quem não os tem? Que bom te ler de novo Cristiano Marcell. Abraço!

    ResponderExcluir