Viajantes Interplanetários

E-MARTE: Cadastre-se para receber nossas novidades em primeira mão!

sábado, 19 de setembro de 2009

Resenha


SELETA DA LITERATURA VISCERAL DE LARA – diga-se de passagem Visceral de vísceras mesmo! -Por quê? É só ler um pouquinho, para perceber que o poeta realmente desarraiga de suas entranhas todos os seus sentimentos despejados em: Poemas, Contos, e Crônicas. Digamos que tratam-se de várias facetas, as quais poderão agradar o sujeito leitor com os suas várias nuances.
Há tempos não paro e devoro um livro tão rápido como venho devorando esse. Talvez seja a curiosidade de conhecer mais um poeta, talvez seja mesmo a carência de escritos viscerais como esse.
Com a leitura desse livro (que doarei para outro amigo poeta, disseminando assim a informação. Sem deixar de adquirir outro exemplar, alias com o próprio autor. Já que essa edição é patrocinada pelo mesmo), não poderia deixar de lembrar-me do velho Bulk* e afirmar com F em Caps Lock que: A POESIA MARGINAL NÃO MORREU! E como diria P. Lemiski: Marginal
é quem escreve à margem,
deixando branca a página
para que a paisagem passe
e deixe tudo claro à sua passagem.

Marginal, escrever na entrelinha,
sem nunca saber direito
quem veio primeiro,
o ovo ou a galinha.
Com mais essas publicações, e outras que já vi circulando aí do Autor (Lara) fica provado uma coisa: Chico Scince está mais certo do que nunca:
“Um passo a frente e você não está no mesmo lugar”.

D.Everson

*Henry Charles Bukowski foi um poeta, contista e romancista americano. Sua obra obscena e estilo coloquial, com descrições de trabalhos braçais, porres e relacionamentos baratos, fascinaram gerações de jovens à procura de uma obra com a qual pudessem se identificar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário